Home Ciência & Saúde Conheça os graves efeitos do crack no organismo

Conheça os graves efeitos do crack no organismo

por Paulo Fernandes Maciel

Apontamos alguns dos graves efeitos do crack no organismo do dependente

Atualmente, o Brasil é o país com o maior mercado de crack no mundo, representando 20% do consumo mundial da droga. O crack é uma substância psicoativa e ilícita, cinco vezes mais potente que a cocaína — e muito mais consumida, visto que é mais e os efeitos do crack duram menos.

A dependência química é uma doença reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como incurável, progressiva, porém tratável em clínicas de recuperação em Goiás e em outras regiões do país.

Sendo caracterizada pelo abuso de substâncias psicoativas, devido a sua ação no sistema nervoso central, o crack, em especial, é responsável pela morte de cerca de 30% dos dependentes em um prazo de cinco anos. Entre os principais fatores, está o consumo da droga em si ou as consequências de seu uso (comportamento violento, envolvimento em brigas, suícidio, etc).

efeitos do crack

O crack, assim como outras drogas psicoativas, impede a reabsorção da dopamina (neurotransmissor responsável por provocar sensações de prazer e bem-estar) pelo organismo, de modo que a aumentar a duração de seus efeitos.

Em busca do prazer proporcionado por ele, o dependente tende a consumir a droga com mais frequência — e conforme o corpo fica mais tolerante à ela, a dosagem também tende a aumentar. 

Dessa forma, tal comportamento é refletido em um sistema imunológico cada vez mais debilitado. Entenda mais sobre como o crack age no organismo e a importância do tratamento em clínicas de recuperação em Goiânia.

 Ação do crack no sistema nervoso central

Os efeitos do crack aparecem logo após uma única dose ser consumida. Em razão de sua ação quase que imediata no sistema nervoso central, esse efeitos incluem aceleração dos batimentos cardíacos, dilatação das pupilas, tremores, maior aptidão física e mental.

Psicologicamente, o dependente sente euforia, sensação de prazer e aumento da auto-estima. Em alguns casos, ele também pode apresentar tonturas, além de um transtorno de personalidade paranoide, caracterizado por um padrão generalizado de desconfiança e perseguição de outros.

Além disso, o crack promove a destruição dos neurônios, de modo que a memória, a percepção e o autocontrole são afetados; sendo o comportamento violento um traço característico, além da indiferença à práticas comuns, como comer e dormir. Nesse contexto, a busca por ajuda profissional em clínicas de recuperação no Espírito Santo deve ser imediata.

Ação do crack no organismo

O pulmão é o principal órgão afetado pela queima da substância. Logo, sintomas respiratórios são comuns: tosse seca, dor no peito ou falta de ar, piora de asma e aparecimento de sangue no catarro. Em 61% dos casos, há a presença da tosse com escarro escurecido, característico do uso de crack.

Ademais, há o risco de arritmias cardíacas, infartos agudos do músculo cardíaco e outros problemas no coração.  Se inalado junto com o álcool, ele pode trazer consequências letais ao organismo, em função do aumento do ritmo cardíaco e da pressão arterial.

 Importância de buscar ajuda 

Superar o vício em qualquer substância não é fácil e; apesar de incurável, a dependência pode ser tratada em clínicas de reabilitação no Distrito Federal e em outras regiões. Com o auxílio da família, uma equipe multidisciplinar e muita força de vontade, é possível largar o vício e retomar uma rotina saudável. A conscientização dos danos causados na saúde e vida pessoal e profissional é um dos primeiros passos para procurar ajuda

Você também pode gostar

Deixe um Comentário