Home / Atualidades / Técnico em enfermagem e sua importância nas crises

Técnico em enfermagem e sua importância nas crises

Condutas esperadas de técnicos em enfermagem para atendimento de urgência de crises convulsivas

A convulsão é o resultado da superatividade elétrica do cérebro em decorrência de alguma anormalidade e o técnico em enfermagem deve ser preciso no atendimento.

Nos episódios, acontecem alterações involuntárias e repentinas nos sentidos, comportamento e também na atividade muscular.

estetoscópio técnico em enfermagem

A maioria das crises pode ser controlada com o uso de remédios, e o tratamento precoce e rápido em situações de emergência, faz toda a diferença para reduzir a mortalidade e a permanência hospitalar.

Se você está fazendo o curso de técnico em enfermagem ou auxiliar de enfermagem, saiba mais quais são as condutas esperadas em crises convulsivas.

Leia também:

HIS Healthcare Innovation Show acontecerá em São Paulo

Healthcare Innovation Show tem novidades da DINAMO

Crises Convulsivas

 

Existem vários tipos de  convulsão.

Os dois mais conhecidos, são as crises de pequeno mal e grande mal.

Na primeira opção, o paciente parece estar “ausente” sem reações com olhar parado ou movendo as mãos sem nenhum propósito ou com tremores nos lábios.

Já as crises de grande mal, são facilmente reconhecidas pela perda súbita de consciência e músculos contraídos com contrações rítmicas.

A avaliação médica é sempre fundamental, mas os episódios convulsivos em que o paciente demora mais de 5 minutos para recobrar a consciência merecem atenção redobrada.

Além disso, caso a pessoa tenha várias crises seguidas ou machuque a cabeça, também é necessário procurar ajuda médica com urgência.

Condutas esperadas dos técnicos e auxiliares de enfermagem

Os auxiliares de enfermagem e técnicos são responsáveis por prestar os primeiros socorros em casos de urgência, seguindo as orientações abaixo:

  • Deitar a vítima de costas no chão;
  • Colocar algo macio sob a cabeça, caso não tenha almofado, pode-se utilizar agasalhos;
  • Analisar o entorno para afastar objetos que possa machucar a cabeça da vítima;
  • Manter vias aéreas desobstruídas;
  • Lateralizar e proteger a cabeça;
  • Afrouxar roupas que podem diminuir a respiração;
  • Afastar curiosos;
  • Monitorar possíveis vômitos/sangramentos;
  • Avaliar possíveis lesões na cabeça
  • Preencher guia de avaliação para investigação de crise aguda ou epilepsia e encaminhar para consulta médica.

 

Instruir a comunidade

É importante educar a comunidade a respeito das convulsões e também da epilepsia.

Neste sentido o técnico em enfermagem, deve conscientizar que a crise convulsiva não é possessão demoníaca e também não é contagiosa.

As pessoas que sofrem de epilepsia, que é uma doença crônica, precisam fazer uso de medicamentos, mas podem se relacionar normalmente e trabalhar na maioria dos empregos.

Mesmo quem não é um profissional da saúde pode fazer um curso de primeiros socorros e salvar vidas.

Agora se você já tem um curso de técnico e auxiliar, os primeiros socorros podem completar as aulas de técnico em enfermagem.

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*