Home Artigos Túnel do Tempo: INTEL o avanço Tecnológico

Túnel do Tempo: INTEL o avanço Tecnológico

por Agência Canal Veiculação

A Intel trabalha todos os dias para desenvolver processadores cada vez menores e com isso conseguir diminuir o tamanho de computadores, notebook e outros dispositivos móveis. Você pode acompanhar com a gente todas as novidades
nos novos chips, mas já pararam para pensar em como eles eram quando tudo começou?

Dá uma olhadinha na linha do tempo abaixo e em como eram os computadores na época dos seus avós. Uma evolução notável ao longo dos anos, graças à Lei de Moore e aos avanços tecnológicos.

Linha do Tempo dos processadores.jpg

O primeiro computador eletrônico foi o ABC (Atanasoft Berry Computer), de 1937. Ele pesava 320 Kg e ocupava o espaço de uma mesa. Sua principal função era resolver problemas de álgebra com maior exatidão. Já em 1946 foi apresentada a
ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Computer), que pesava 27 toneladas e chegava a elevar a temperatura ambiente a 50°C durante seu funcionamento. A ENIAC prescindia completamente de processos analógicos.

 

Nas décadas de 50 e 60 os computadores ganharam os circuitos transistores – pequenos interruptores de transmissão elétrica –, o que permitiu o aparecimento do primeiro microprocessador, o 4004 da Intel, que continha 2000
transistores.

 

Os últimos avanços da tecnologia conseguiram, além de reduzir o tamanho dos processadores, (e por consequência dos computadores) aumentar seu rendimento e diminuir o consumo de energia. Hoje, com o chip já quarentão, os transistores
medem 32 nanômetros. Um Intel Core i5, por exemplo, possui 559 milhões desses transistores. Ou seja, os processadores hoje possuem mais de 243 mil vezes mais transistores, que por sua vez são mais de 312 vezes menores, e funcionam com uma frequência mais de 30 mil vezes superior, tudo isso em 40 anos de evolução.

Intelll.jpg

 

E isso tudo não vai acabar por aqui, você sabe o que te aguarda no futuro?
Esses transistores vão ficar menores ainda, com 22 nanômetros construídos em
três dimensões, como se fossem um cubo.

Fonte: Blog Intel Apaixonados Pelo Futuro !

Você também pode gostar

Deixe um Comentário