Home Premiações Push intelligence | Startup catarinense é premiada no ranking Top 100 Open Startups

Push intelligence | Startup catarinense é premiada no ranking Top 100 Open Startups

por admin

IA  e Robô com conceito  de push intelligence dá premiação de 4º lugar na categoria Productivity no Open Startups

A catarinense Rampfy ficou em 4º lugar na categoria Productivity e pelo robô de push intelligence no Open Startups

A 100 Open Startups elenca desde 2016, as startups mais inovadoras e atrativas em ascensão para o mercado corporativo.

A ideia é inovar e inovar com consciência.

O que torna os participantes competitivos é o desenvolvimento inovador, conexões e o ecossistema.

No ano de 2020 foram 13.177 startups participantes e 2.825 grandes empresas.

O ranking gera uma alta visibilidade com repercussão na mídia e mercado, proporcionando novos contatos e parcerias.

Um belo destaque

Nesta 5ª edição das startups avaliadas pela plataforma global 100 Open Startups, a catarinense Rampfy ficou em 4º lugar na categoria Productivity e foi avaliada entre as melhores startups do Brasil, ficando em 34º lugar no ranking geral entre as 13.177 avaliadas.

A jovem startup sediada em Blumenau, Santa Catarina, desenvolveu um robô de inteligência artificial que se conecta ao sistema de gestão das empresas, analisando informações e métricas.

A ideia é aproveitar melhor o tempo e os dados na gestão empresarial, visando o amplo volume de informações atuais.

Leia também:

Inteligência artificial: o futuro no presente

Pioneirismo

No Brasil a startup Rampfy é pioneira nesse tipo de tecnologia.

O conceito utilizado é o Push intelligence que juntamente com a inteligência artificial, permite gerir de forma antecipada, problemas futuros.

Ao detectar um problema em algum processo, de modo a não atingir o objetivo desejado, o robô entrega informações ao celular do time de gestão, de forma proativa e preventiva.

Com isso é possível tomar decisões precisas e ágeis, baseadas em dados verídicos e confiáveis.

O data driven é um conceito onde as decisões são baseadas em dados, e vem crescendo pelas grandes empresas mundo afora. No Brasil ainda reina a decisão baseada em instintos (feeling driven), mas a decisão baseada em dados já é realidade para empresários que utilizam a solução.

Computação cognitiva

De acordo com o Dr. John Kelly III, vice-presidente sênior de pesquisa e soluções da IBM:

“O sucesso da computação cognitiva não será medido pelos testes de Turing ou pela capacidade do computador de imitar humanos.

Será medido de maneiras mais práticas, como retorno do investimento, novas oportunidades de mercado, doenças curadas e vidas salvas. ”

A tecnologia de IA não é o fim, mas um meio para a eficiência e produtividade.

Para executivos e gestores, é o acesso a melhores capacidades de encontrar soluções e tomadas de decisões baseadas nos dados que a empresa já possui.

Dados que podem produzir insights e informações valiosas, muitas vezes não aproveitadas.

“As grandes companhias estão começando a entender que dados reativos não são o melhor caminho.

E sim que dados pró ativos e push intelligence mudam totalmente a forma como a empresa opera, e a velocidade das decisões e ajustes dentro da empresa”, afirma César Dias, CEO da Rampfy.

Ou seja, as empresas que já possuem um robô de push intelligence têm ao seu dispor insights e notificações proativas diretamente no smartphone.

Já que o robô identifica processos e resultados ineficientes e notifica os gestores proativamente.

Pesquisa da Tech Pro Research

De acordo com uma pesquisa da Tech Pro Research, até 24% das empresas atualmente implementam ou planejam usar inteligência artificial.

Os destaques se encontram nos setores de saúde, serviços financeiros e automotivos.

Antes do ressurgimento da IA e sua aplicação comercial, os gestores precisavam confiar em dados incompletos e inconsistentes.

Com a inteligência artificial, eles têm modelos e simulações baseados em dados para recorrer.

Uma grande mudança em relação as empresas que se baseiam em feeling e experiências já vivenciadas para tomar decisões atuais.

Dieta de Big Data e Push intelligence

De acordo com o Rao da PwC, a modelagem ilimitada de resultados é uma das inovações nos sistemas atuais de IA.

Ele reitera: “Há uma imensa oportunidade de usar a IA em todos os tipos de tomada de decisão”.

Os sistemas de IA de hoje começam do zero e se alimentam de uma dieta regular de big data.

Isso é inteligência aumentada em ação, que eventualmente fornece aos executivos modelos sofisticados como base para a tomada de decisões.

Um futuro melhor

A Rampfy acredita que a inteligência artificial e push intelligence são tecnologias em expansão mundial.

Melhorando a eficiência e qualidade do trabalho dos funcionários.

Com análises, recomendações e acompanhamentos confiáveis, os gestores e executivos conseguem fazer melhores escolhas para seus negócios.

Uma tecnologia em prol de um futuro melhor e mais integrado.

Fonte: Website: https://www.rampfy.com/

Sobre a Rampfy

A Rampfy nasceu de um problema real.

Uma avalanche de informações dispersas em infinitos lugares que não chegam as pessoas certas, no momento certo, e por consequência, não provocam ações e atitudes para evitar falhas, corrigir problemas ou incrementar performance.

Nós ajudamos empresas de toda a América Latina a entrarem no universo data driven, tomando decisões precisas e ágeis baseadas em dados, graças ao recebimento de insights proativos apoiados em KPIs e indicadores.

Conquistas

Entre 8600 startups candidatadas, fomos posicionados em 18º lugar no ranking 100 Open Startups 2019.

Esse ranking lista as startups mais interessantes do Brasil para fazer negócios e investir.

Em 2019 fomos classificados em 7 lugar no ranking do Open Innovation Week da Universidade de São Paulo (USP).

O evento contou com 413 startups e 24 grandes companhias declararam interesse em fazer negócio com a Rampfy.

Conquistamos o 2º lugar no ranking do TOP Productivity for Enterprise Application 2019.

Esse ranking é feito pela avaliação de executivos de 2.200 grandes empresas Brasileiras participantes do Ranking 100 Open Startups.

Você também pode gostar

Deixe um Comentário