Home / Noticias / WikiLeaks abre mais arquivos apos prisão de Assange

WikiLeaks abre mais arquivos apos prisão de Assange

WikiLeaks divulga todos arquivos secretos após prisão de Assange

Após a prisão de Julian Assange o WikiLeaks resolveu disponibilizar todos os documentos do seu acervo ao público.

Esta já era uma promessa antiga do site, que, de fato, liberaria todas as informações secretas caso seu fundador fosse preso.

Bandeira WikiLeaks

 

Com a prisão do executivo agora o site deverá liberar os arquivos

Figurões brasileiros aparecem estão em alguns arquivos

 

São muitas as entidades citadas nos arquivos, e nem mesmo figuras políticas do Brasil escaparam do vazamento, casos da ex-senadora Roseana Sarney (MDB-MA) e do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Outro material da relação indica que o fundador da Apple, Steve Jobs, teria falecido, na verdade, em decorrência de AIDS, e não de câncer pancreático.

O teste apontado, no entanto, é falso.

Você pode acessar a lista completa do WikiLeaks neste link.

O site causou estremecimento nos Estados Unidos ao revelar documentos considerados secretos, daquele e de vários países parceiros, onde as agências de vigilância dos USA coletam informações relevantes dos governos e de pessoas de relevância neles.

Mudança de governo no Equador permitiu mudança de entendimento na Embaixada

O material disponibilizado é repleto de atas de reuniões, contratos, fotos e demais documentos, e tudo indica que foi vazado mediante solicitação do próprio Assange.

O jornalista segue em prisão em Londres, mas há um pedido de extradição para os Estados Unidos, sob acusações de conspiração.

 

O governo Inglês estuda a liberação da extradição de Assange para os Estados Unidos, apesar do seu país de origem estar pleiteando sua volta para responder ao crime de assédio que lhe é imputado.

Até o momento, não foi divulgado se os arquivos ficarão disponíveis para sempre ou serão retirados do ar depois de um prazo.

Muitos deles, aliás, apareceram no site em ocasiões anteriores.

Créditos: Marcelo Barros – defesa.tv.br

Fonte: WikiLeaks

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*