Home / Noticias / Google+ sofreu ação um bug em possíveis 52,5 milhões de usuários

Google+ sofreu ação um bug em possíveis 52,5 milhões de usuários

Google+: nova falha expôs informações pessoais de 52,5 milhões de usuários

A ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, analisa um bug no Google+ que permite que desenvolvedores de aplicativos de terceiros acessem dados privados de perfis de usuários.
O erro estava em uma atualização que foi apresentada em novembro passado e que afetou a API do Google+ chamada “”People:get“. “.

Usuária com smartphone com Google+

Esta API, projetada para permitir que os desenvolvedores solicitem informações básicas associadas à conta do usuário, não funcionou como deveria e deixou expostas aos desenvolvedores as informações de 52,5 milhões de usuários, como nome, endereço de e-mail, sexo, idade, ocupação, entre outros dados.

O bug foi descoberto pelos engenheiros do Google ao realizar testes de rotina.

Depois desse novo incidente, o Google anunciou que adiantaria o fechamento da rede social, de agosto para abril de 2019.

Incidente anterior

A decisão de fechamento foi tomada, entre outras coisas, após a descoberta de uma violação de segurança que expunha os dados dos perfis de mais de 500 mil usuários.

Apesar da primeira falha ter sido divulgada apenas em outubro, ela ocorreu no início de 2018.

Esse bug permitiu que desenvolvedores de aplicativos de terceiros acessassem dados marcados como privados, armazenados no Google+ desde 2015,, quando deveria ter autorizado somente informações públicas às quais, por padrão, os aplicativos de terceiros têm permissão de acesso.

Logomarca do google+

ESET alerta, vazamento está ficando comum

Além disso, a primeira falha não apenas permitiu que os desenvolvedores acessassem informações privadas dos usuários, mas também de seus amigos, deixando expostas as informações de mais de meio milhão de pessoas.

No entanto, o Google afirmou que não há evidências de que qualquer um dos 438 aplicativos de terceiros que usaram a API tenha se aproveitado do bug.
“O vazamento de informações confidenciais de grandes empresas está se tornando comum.

O objetivo da ESET é conscientizar os usuários sobre os riscos aos quais seus dados estão expostos, portanto, a educação é o primeiro passo para se proteger.

Para isso, a ESET recomenda sempre ter um duplo fator de autenticação, bem como com senhas fortes para serviços contendo dados sensíveis e soluções de segurança instaladas e atualizadas.”

Conclui Camilo Gutierrez, chefe do Laboratório de Pesquisa da ESET América Latina.

 

Para mais informações, visite o portal de notícias da ESET, chamado WeLiveSecurity em: https://www.welivesecurity.com/br/

Visite-nos em: @eset_brasil /company/eset-brasil

Sobre a ESET

Desde 1987, a ESET® desenvolve soluções de segurança que ajudam mais de 100 milhões de usuários a usar tecnologia com segurança.

Seu portfólio de soluções oferece às empresas e aos consumidores em todo o mundo um equilíbrio perfeito de desempenho e proteção proativa. A empresa possui uma rede global de vendas que abrange 180 países e tem escritórios em Bratislava, São Diego, Cingapura, Buenos Aires, Cidade do México e São Paulo.

Para mais informações, visite http://www.eset.com.br/ ou nos siga no LinkedIn, Facebook e Twitter.

ESET América Latina

Desde 2004, a ESET opera na América Latina, onde conta com uma equipe de profissionais capacitados a responder às demandas do mercado local de forma rápida e eficiente, a partir de um Laboratório de Pesquisa focado na investigação e descoberta proativa de várias ameaças virtuais.
Copyright © 1992–2017 ESET.

Todos os direitos reservados. ESET e NOD32 são marcas registradas da ESET. Outros nomes são marca registrada de suas respectivas empresas.

About Paulo Fernandes Maciel

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*