Home Noticias Angola Cables e RNP a favor da cultura na América Latina

Angola Cables e RNP a favor da cultura na América Latina

por Paulo Fernandes Maciel
Logomarca da RNP

Parceria entre RNP e Angola Cables cria primeiro ponto de troca de tráfego acadêmico da América Latina

A Angola Cables e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) acabam de assinar uma parceria para a construção de um ponto de troca de tráfego (PTT), nas instalações da Angola Cables em Fortaleza.

Logomarca da RNP

Ele funcionará em âmbito mundial e será voltado exclusivamente para a troca de tráfego científico e acadêmico que é formado por dados, informações, pesquisas, estudos e artigos acadêmicos da comunidade de ensino e pesquisa mundial.

O PTT estará instalado no centro de dados da Angola Cables, localizado na Praia do Futuro, capital cearense, onde a multinacional de Telecom concentra seus três grandes empreendimentos no Brasil – dois cabos submarinos, Monet e SACS e um data center.

 

Acordo permitirá que dados acadêmicos sigam pelas redes das duas organizações para diversas instituições de ensino e pesquisa do mundo

Logomarca Angola cables

“O PTT que a RNP construirá no centro de dados da Angola Cables, em Fortaleza, é único na América do Sul e um dos poucos no mundo voltado para uso exclusivo da comunidade de ensino e pesquisa.

Um passo de extrema relevância ao desenvolvimento da ciência, tecnologia e ensino em nível mundial”, explica António Nunes, CEO da Angola Cables.

Para receber o GXP (do inglês Global Exchange Point) da RNP nas suas dependências, a Angola Cables mostrou potencial para atender a todos os requisitos necessários para a realização desta parceria, entre os quais conectividade, capacidade, baixa latência e rota expressa para África.

Segundo o diretor de Engenharia e Operações da RNP, Eduardo Grizendi, a implantação do Ponto de Troca de Tráfego Global no Brasil é um grande passo para facilitar a interconexão com outras redes acadêmicas e atender às demandas de grandes fluxos de dados da comunidade científica. “Esses fluxos de dados requerem de nós, redes acadêmicas, agilidade no aprovisionamento de circuitos de alta capacidade e confiabilidade, normalmente exigindo canais ópticos ou frações de espectro exclusivos”, declarou Grizendi.

Conjunto de data centers da Angola cables
Sobre a Angola Cables:

Angola Cables é uma multinacional angolana de telecomunicações, fundada em 2009, que opera no mercado de atacado, cujo negócio principal é a comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados através de sistemas de cabos submarinos de fibra óptica.

É um dos maiores acionistas do WACS (West Africa Cable System), que liga a Africa do Sul à Londres, fornecendo serviços de nível de operador a operadores em Angola e na região subsaariana, tornando-se assim um dos maiores fornecedores de IP na região.

Seus principais projetos – SACS e Monet – vão interligar três continentes:

América do Sul, América do Norte e África, bem como o Data Center de Fortaleza, uma instalação de Nível III que irá interligar os seus sistemas de cabo criando uma rede altamente conectada.

Hoje a empresa já opera um Data Center em Angola, o Anganop.

Para mais informações acesse Angola Cables

 

Sobre a RNP:

Qualificada como uma Organização Social (OS), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e mantida por esse, em conjunto com os ministérios da Educação (MEC), Cultura (MinC), Saúde (MS) e Defesa (MD), que participam do Programa Interministerial RNP (PI-RNP).

Pioneira no acesso à internet no Brasil, a RNP planeja, opera e mantém a rede Ipê, infraestrutura óptica nacional acadêmica de alto desempenho.

Com Pontos de Presença em 27 unidades da federação, a rede conecta 1.197 campi e unidades nas capitais e no interior.

São mais de 4 milhões de usuários, usufruindo de uma infraestrutura de redes avançadas para comunicação, computação e experimentação, que contribui para a integração dos sistemas de Ciência e Tecnologia, Educação Superior, Saúde, Cultura e Defesa.

Para mais informações acesse: www.rnp.br

 

Você também pode gostar

Deixe um Comentário