Home / Artigos / Inteligência Artificial compõe as 4 tecnologias vitais

Inteligência Artificial compõe as 4 tecnologias vitais

Robótica, Inteligência artificial , IoT, Digital commerce, industria 4.0 são pontos em pauta no mundo.

Inteligência Artificial

Seguem 4 tecnologias disruptivas que sua indústria precisa aderir para a transformação digital

 

Hoje, tudo está ao passo de um touch;

Conversamos e nos conectamos com pessoas de qualquer lugar do mundo em instantes.

E, enquanto vivemos a era da conectividade na nossa vida pessoal, na indústria, o cenário é de revolução digital;

Com adesão a tecnologias como inteligência artificial, internet das coisas, robotização, algoritmo e big data.

 

Com essa revolução na forma de fazer negócios, se torna iminente a necessidade de inovar e investir em projetos que façam com que as organizações tornem os seus processos produtivos mais inteligentes, ágeis e econômicos para se destacar em relação a concorrência.

 

Os investimentos em tecnologia se mantiveram estáveis em 2016;

Segundo informações da Fundação Getúlio Vargas (FGV) – o que parece bom considerando a conjuntura econômica e política do País.

Entretanto, em comparação com outros mercados, o Brasil ainda “engatinha” quando falamos em automação, Inteligência artificial e transformação digital.

Pensando nisso, compartilho aqui as quatro tecnologias disruptivas que a indústria precisa se atentar para realizar uma mudança estrutural no dia a dia e na maneira de fazer negócios.

Robótica avançada

Leia também: Empresa de Tecnologia Industrial Pollux abre processo seletivo

 

O uso de robôs na indústria vem crescendo ano a ano.

Dados da Federação Internacional de Robótica (IFR, em inglês);

E da Associação Nacional de Robôs estimam que 1.800 robôs tenham sido comprados pela indústria no Brasil em 2016;

E que em 2019 esse número será de 3.500 unidades.

Mas, como adiantei, o País ainda tem muito a crescer neste setor.

Calcula-se que no mundo tenham sido comprados 290 mil robôs no ano passado;

E que 414 mil equipamentos sejam adquiridos até 2019.

 

Vale destacar que os robôs não substituem a mão de obra humana.

Eles trazem benefícios tanto para os colaboradores, que podem deixar as atividades repetitivas e até insalubres para assumir tarefas mais estratégicas;

Quanto para as empresas, pois aumentam a produtividade, já que podem executar as atividades 24 horas por dia, sete dias por semana.

O mercado já possui modelos capazes de atuar lado a lado com o homem, que são os robôs colaborativos.

E também não existe a necessidade de um alto investimento inicial, pois já são oferecidos pelo mercado os robôs como serviço ;

Na  modalidade de aluguel com pagamento mensal.

Soma-se a isso a ausência de patentes de robótica registradas por empresa  “Genuinamente” brasileira ou seja sem capital estrangeiro.

Inteligência artificial (IA)

 

Esta tecnologia tem sido utilizada para analisar todas as informações geradas pelas companhias;

E identificar variáveis, mapeando oportunidades de otimizar processos, melhorar o desempenho e antever falhas.

Por exemplo, se uma indústria conta com máquinas de diferentes fabricantes e uma determinada marca demandou um número de maior de reparos e manutenções, pode-se avaliar se a troca do equipamento por outra marca não traria mais benefícios.

Estas conclusões podem ser obtidas por meio da IA – ajudando a reduzir custos em médio e longo prazo.

 

Não é à toa que o Gartner estima que, até 2021:

40% dos novos aplicativos empresariais implementados pelos prestadores de serviços incluirão tecnologias de IA.

Afinal, com a capacidade de prever cenários e antecipar ações, esta tecnologia garante maior eficiência, informações gerenciais mais precisas e redução de custos e tempo.

 

Internet industrial das coisas (IIoT)

 

Unindo a conectividade às indústrias, é possível controlar as operações de qualquer lugar do mundo;

Através de um simples celular – e gerar dados em real time para tomada de decisões melhores e mais rápidas.

O uso de sensores para monitorar equipamentos e indicar com antecedência a necessidade de reparos é um exemplo da IIoT na prática:

Equipamentos conectados antecipam-se aos problemas, evitando os custos gerados por ações que precisam ser realizadas de última hora.

 

Estudos da IDC Brasil apontam que a indústria será o setor que mais investirá nesta tecnologia em 2017.

É claro que este conceito ainda é novo e possui alguns desafios, mas quem não explorar esta oportunidade vai acompanhar seus concorrentes se destacando e ficar para trás.

 

Analytics

 

Como uma tecnologia está associada a outra;

Os dados gerados pela IA e IIoT precisam ser analisados com eficiência para gerarem os benefícios esperados.

Estas informações podem resultar em insights valiosos;

Que poderão ser utilizados para a tomada de decisões estratégicas e uma gestão mais eficiente;

Oferecendo a oportunidade de criar novas fontes de receita.

 

Para os que ainda estão receosos, há uma maneira de obter retorno rápido e sentir segurança para investir nestas novas tecnologias:

Adotar uma delas em um determinado processo, analisar os resultados e depois expandir ou replicar.

A indústria 4.0 é uma realidade e inovações se tornam primordiais para que as organizações brasileiras acompanhem as tendências mundiais e possam se tornar competitivas.

No Brasil ainda contamos apenas com experimentos em algumas ETECs e os cursos do Senai;

Para timidamente tentar qualificar profissionais frente a esses desafios.

Créditos: José Rizzo

Inteligência Artificial

*José Rizzo é CEO da Pollux;

Empresa de tecnologia industrial referência em inovação – e presidente-fundador da Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII).

 

Sobre a Pollux Inteligência Artificial e Robótica

A Pollux é a empresa de automação mais inovadora do Brasil.

Nosso propósito é aumentar a competitividade da indústria através de soluções que tornam as fábricas mais produtivas, eficientes e inteligentes;

Permitindo que nossos clientes vençam em um cenário global cada vez mais acirrado.

Nossa equipe multidisciplinar é composta por profissionais especialistas em automação industrial:

Projetos de máquinas, robótica e software industrial, com formação nas melhores universidades do Brasil, Estados Unidos, Alemanha, França e Itália.

Consideramos que, tão importante quanto o conhecimento técnico, é o Jeito de Ser Pollux presente em cada um dos nossos colaboradores:

Agimos sempre pautados pela integridade.

Construímos relacionamentos positivos e duradouros.

Empreendemos, inovamos e assumimos riscos.

About Paulo Fernandes Maciel

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*