Home / Canal Leitor / Carrapaticida natural promete livrar bovinos dessa praga

Carrapaticida natural promete livrar bovinos dessa praga

IZ desenvolve produto natural capaz de combater carrapatos em bovinos.

 
Desenvolvimento de carrapaticida à base de óleos essenciais teve parceria da empresa HYG System.
Uma nova formulação de produto à base de óleos essenciais, capaz de controlar carrapatos em bovinos de forma rápida e eficiente, está pronta para ser comercializada.

A fórmula foi desenvolvida pelos pesquisadores do Instituto de Zootecnia (IZ-APTA);

Da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Cecília José Veríssimo e Luciana Morita Katiki;

E o aluno de pós-graduação em Produção Animal Sustentável do IZ, o farmacêutico Leandro Rodrigues;

Em parceria com o bioquímico Germano Scholze, proprietário da empresa HYG System.

Segundo os pesquisadores do IZ, no mundo todo empresas e cientistas buscam o desenvolvimento de formulações alternativas, de origem natural, para o controle dos carrapatos em bovinos, devido à resistência destes aos produtos químicos.

O Instituto de Zootecnia é ligado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA).
O produto foi desenvolvido em pesquisa realizada pelo IZ desde 2015.

No ano passado, o projeto recebeu aporte financeiro da empresa HYG System;

Por meio de um termo de cooperação técnico-científico de desenvolvimento conjunto;

Que teve a assessoria técnica do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT-IZ/APTA), da negociação ao instrumento jurídico firmado.

carrapato

Diferenciais do produto

O diferencial do produto é a não utilização de composto sintético em sua formulação e sua ação rápida sobre os carrapatos. Em testes in vivo, ou seja, realizados no animal, ocorre a morte de diversas fases do carrapato (larvas, ninfas, machos e fêmeas) em 48 horas, reduzindo significativamente a contagem de carrapatos nos animais logo na primeira semana.

O teste in vitro mostrou 100% de mortalidade da fêmea, que nem chega a por ovos.

“Normalmente, os produtos químicos utilizados na forma de aplicação Pour-on (aplicação no fio do lombo) demoram de sete a 10 dias para começar a agir.

Quanto mais rápida a eliminação dos carrapatos, principalmente das fêmeas que sugam o sangue do animal, mais rápida será a recuperação do peso e produtividade”;

Explica Rodrigues.
Outro diferencial é a ação sob todas as fases do carrapato.

Após a aplicação do produto, as fêmeas ingurgitadas e demais fases dos carrapatos secam, de modo que não chegam a por ovos.

“Com isso, há eliminação de grande parte da população, o que evita a resistência dos carrapatos ao produto.

A resistência é um dos grandes problemas para o controle do carrapato e este carrapaticida natural consegue driblá-lo”, afirma Scholze.
O preço do produto no mercado deve competir com os carrapaticidas em uso.

“A aplicação é feita pulverizando as áreas onde há maior contração de carrapatos, como períneo, axila, barriga ou pescoço. Esta é mais uma opção que a pesquisa paulista disponibiliza aos produtores rurais”;

Diz Cecília, que trabalha com o controle do carrapato-do-boi há mais de 30 anos e diz nunca ter visto um produto alternativo tão eficiente quanto este.
“O projeto é muito positivo, pois com esse trabalho de parceria priorizamos o desenvolvimento de um produto que seja usufruído de imediato pelos produtores, beneficiando, principalmente, os animais, por ser de origem natural;

Explica Luciana

 

Sobre as perdas

De acordo com estimativas publicadas em 2014, coordenadas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ);

As perdas decorrentes da infestação de carrapatos em bovinos ultrapassam US$ 3 bilhões por ano no Brasil.

Cecília explica que o carrapato do boi (Rhipicephalus microplus) ataca principalmente as raças de origem europeia;

Sendo a Holandesa, utilizada para produção de leite, muito suscetível.

“As raças zebuínas, como Nelore, Gir e Guzerá, muito utilizadas no Brasil, têm resistência natural aos carrapatos, preferem carralcool;

Diferente das raças europeias, muito suscetíveis a esses ectoparasitas”, explica.

carrapato

Além disso, os carrapatos transmitem duas doenças aos animais, a anaplasmose e a babesiose;

Conhecida popularmente como “tristeza parasitária bovina”, que ocasionam febre alta e anemia, podendo causar a morte de bezerros.

NIT-IZ

O projeto desenvolvido pelo IZ e a empresa HYG System foi a primeira parceria assinada pelo Instituto nos moldes do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT-IZ) e deve trazer ganhos estratégicos para a equipe de pesquisadores envolvida no projeto, Instituto e empresa parceira.
A parceria está amparada pela Resolução nº 12, assinada pela Secretaria de Agricultura em março de 2016;

Que regulamenta questões relacionadas à organização e gestão dos processos que orientam a transferência de tecnologia das instituições científicas e tecnológicas da Pasta, com a interveniência de uma fundação de pesquisa, que neste caso é a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio (Fundepag).
Para Scholze, o desenvolvimento em conjunto com o IZ traz credibilidade ao produto.

“Trabalho há alguns anos com óleos essenciais e sabíamos o potencial deles para o controle do carrapato;

Porém, o projeto com o IZ possibilitou a realização de diversos testes para a comprovação de eficiência”, afirma.
De acordo com o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim;

Esse projeto mostra a importância de se desenvolver trabalhos em conjunto, que resultem em inovações para o setor de produção.

“Este novo produto pode revolucionar a pecuária brasileira e, com certeza, trará ganhos para o setor produtivo;

Para os pesquisadores, para o instituto e para a HYG System.

O desenvolvimento de inovações tecnológicas é uma das diretrizes do governador Geraldo Alckmin”, diz.
As empresas interessadas em integrar o projeto podem entrar em contato com o NIT-IZ pelo e-mail [email protected] ou telefones (19) 3476-0904 ou (19) 3476-0952.

Fonte: www.apta.sp.gov.br/

Créditos: Fernanda Domiciano

About Paulo Fernandes Maciel

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*