Home / Artigos / Com projeto voltado ao agronegócio, Senior conquista prêmio global da IBM

Com projeto voltado ao agronegócio, Senior conquista prêmio global da IBM

Empresa é a única parceira da América Latina premiada neste ano. programa aplicado em Jaraguá do Sul SC 

Imagem IBM premio agronegócio
Diante da reformulação do programa de canais, visando atingir efetivamente cada indústria, um reconhecimento: a Senior Sistemas foi premiada, na última terça-feira, durante o PartnerWorld Leadership Conferece, evento da IBM realizado em Las Vegas (EUA), como melhor projeto na categoria IoT Watson, no Beacon Awards, premiação que reconhece os melhores trabalhos de parceiros do mundo todo. A empresa brasileira foi a única da América Latina que subiu ao palco para receber prêmio. No total, são outras cinco categorias.
O projeto, voltado ao setor de agronegócio, vertical que, juntamente com saúde, é foco da IBM no Brasil para 2017 , consiste em um processo de otimização do gerenciamento de silos, recurso agrícola destinado ao armazenamento de produtos geralmente depositados sem estarem ensacados.
O cliente em questão é o Arroz Urbano, terceiro maior fabricante de arroz da América Latina, com sede em Jaraguá do Sul (SC), cidade próxima da sede da Senior, em Blumenau (SC). A companhia havia vencido a mesma premiação há dois anos, na categoria cloud services, com uma solução de oferta em modelo em nuvem.
“O prêmio tem impacto grande no mercado brasileiro. É um reconhecimento com credencial mundial da IBM em um tema que é muito esperado pelas empresas brasileiras. Podemos extrair potenciais competitivos para empresas brasileiras”, comemora o diretor de desenvolvimento da companhia Jean Paul Vieira, que acompanhou de perto a entrega do troféu em Las Vegas.
A avaliação para o prêmio é feita com base em alguns critérios, como renda, referências, habilidades e inovação. Os vencedores são escolhidos por um comitê global da IBM, que filtra em diversas etapas até chegar aos 3 finalistas.
O projeto
Marcio Jasinski, líder da equipe de pesquisas da Sênior e encarregado da missão de receber o prêmio no palco do evento, explica que o Brasil está em um momento oportuno do aumento de produtividade do agronegócio. “Há muitas terras para serem exploradas e agora começa a fazer uso da mecanização do uso. Festão dos equipamentos e tomada de decisão são itens que faltam para essas empresas”, comenta.
A Senior atende oito das dez maiores cooperativas do setor e, com isso, os profissionais responsáveis por esses clientes perceberam os problemas de silos. Quando essa percepção chegou à equipe de desenvolvimento, o ambiente era 100% de software, sem hardware, “Montamos um protótipo de pequena escala para resolver problema de silos. Já havia um dashboard que mostrava o volume do silo e tinha um hardware que fazia a captura”, conta Jasinski.
Na sequência, o protótipo foi apresentado em forma de vídeo, que mostrava o volume sendo mostrado em dashboard em tempo real. O cliente gostou e convidou a Senior para conhecer a linha de produção inteira
“Conhecemos todo processo de industrialização do grão – silo interno, externo, silo com casca e assim por diante. Conversamos com eles para saber onde tinha maior custo beneficio: um dos silos para eles tinha um problema sério de consumo de energia e era preciso monitorar com precisão”, explica.
A empresa tinha um silo onde guardava o arroz pré-processado. Nele, uma pessoa era responsável por checar o volume para liberar ou não o silo, o que atrasava a produção e a definição dos próximos passos. “Isso impacta na paralização da produção ou no enchimento do silo e não haveria pessoas para fazer o equipamento.”
A solução é composta por equipamentos instalados dentro do silo, incluindo emissores baseados em LED e receptores óticos, que capturam o volume de grãos armazenados e enviam as informações em tempo real para o sistema da Senior – que pode ser acessado por computador ou smartphone. A partir de comandos de voz ou texto, os funcionários conseguem solicitar informações analíticas geradas pela plataforma sobre os silos, recebendo os dados e relatórios nos mais diversos dispositivos. Esta é uma espécie de “conversa” que a tecnologia IBM Watson permite dentro do projeto, respondendo perguntas sobre o silo.
A plataforma revoluciona o processo original de controle e monitoramento do volume dos grãos de arroz dentro do silo. “A automatização reduz o tempo de monitoramento, otimiza o controle e proporciona segurança e precisão”, explica Márcio Jasinski, pesquisador da Senior responsável pelo projeto.
Além disso, o gestor da linha recebe um SMS quando o volume é atingido, para que não precise ficar o dia inteiro conferindo.
O projeto foi concluído em cerca de três meses. “Fizemos apenas a parte de software e conectamos o hardware da IBM. Se fosse desenvolver tudo (iOT, segurança, nuvem etc) seria mais de um ano de projeto”, calcula Jasinski.

300x250

About Paulo Fernandes Maciel

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*