Home Ecoverde Seminário FRUTO discute destinação de resíduos

Seminário FRUTO discute destinação de resíduos

por Paulo Fernandes Maciel
Seminário Fruto

Indústria alimentícia, resíduos são temas do seminário FRUTO

O segundo dia do seminário FRUTO | diálogos do alimento, reuniu grandes nomes para dialogar sobre a importância da reciclagem para o planeta terra.

Evento idealizado por Alex Atala e Felipe Ribenboim, que acontece até domingo (26), na Unibes Cultural, trouxe ao palco assuntos como “para onde vão os resíduos que geramos?”.

Atala no Seminário Fruto

“A trajetória de luta dos catadores de lixo no Brasil” e “agroflorestas:

Por que devemos investir nelas?”.

Resíduos, indústria alimentícia e as novas e próximas gerações foram os destaques do segundo dia do seminário FRUTO| diálogos do alimento

Entre os palestrantes, profissionais e acadêmicos de diferentes áreas de atuação compartilharam projetos, pesquisas e experiências relacionadas ao consumo de alimentos industrializados, a necessidade da compostagem e reciclagem nos tempos atuais, a importância do incentivo aos cuidados com o meio ambiente entre a geração alpha (crianças nascidas após o ano de 2010), e iniciativas de estímulo para investimentos em agroflorestas no Brasil.


Abrindo a discussão sobre resíduos, o artista plástico e jornalista Marcos Dávila, o Peri Pane, trouxe seus próprios resíduos ao centro do palco com a performance Homem Refluxo, trazendo a luz a questão da geração de lixo de cada um e o quanto as escolhas de consumo impactam neste cenário.

Peri Pane contou sobre diferentes momentos de sua performance ao longo dos anos e o quanto já utilizou como ferramenta de educação ambiental.

“Não existe jogar fora, tudo o que você joga fora, você joga dentro do planeta. Consumir é um ato político”.

Evento encerra-se hoje (26) na Unibes Cultural, em São Paulo, dia em que conta com programação gratuita, aberta ao público de todas as idades


Entrando no tema da indústria alimentícia, Ana Paula Bertoletto da IDEC apresentou os investimentos em se esclarecer por meio de medidas e informação clara nos produtos com a rotulagem nutricional, o que de fato o consumidor vem comprando nas prateleiras, além de ressaltar como os alimentos ultraprocessados vem impactando nos quadros de obesidade e doenças crônicas em todo o mundo.

Segundo a especialista, práticas abusivas e ilegais contra o direito do consumidor são comuns de serem encontradas em produtos e campanhas de marketing, como informações incorretas ou colocadas de forma enganosa.
Ana Paula esclareceu ainda que quanto mais vulnerável o ambiente, mais suscetível as pessoas estão a consumir produtos menos saudáveis, pela falta de informação e até mesmo por questões financeiras.

Segundo ela, países da América Latina vem a frente no tema rotulagem “Chile e Peru estão na vanguarda do mundo com políticas mais efetivas para o consumidor”, afirma.

E foram também esses modelos que serviram como inspiração para a proposta que a IDEC apresentou à ANVISA e vem batalhando para ser implementada.

A expectativa é que este ano ainda seja escolhida uma sinalização funcional nas embalagens para abrir um novo caminho de escolhas reais para o consumidor.
Nina Orlow, da Aliança de Resíduo Zero Brasil subiu ao palco para dialogar sobre os resíduos gerados pelos cidadãos no mundo.

“83% de tudo que é produzido em nosso planeta é consumido por apenas 20% da população total.

A geração de resíduos é desigual porque o mundo é desigual”, explicou a especialista que atua em diversos projetos socioambientais, com ações participativas e de valorização de iniciativas locais de sustentabilidade.

A palestra trouxe para o público dados relevantes que mostram que a maior parte de resíduos gerados pela população é rejeitado e que devemos nos atentar a isso.

Lixo Extraordinário

O catador de materiais recicláveis Roberto Rocha contou sobre a sua trajetória no mercado da indústria durante apresentação chamada ‘Lixo Extraordinário’.

O profissional, que contribui há aproximadamente 15 anos com a organização dos catadores de materiais recicláveis pelo Brasil com o MNCR, hoje atua como membro-fundador de uma das primeiras cooperativas de catadores do Brasil, a CRUMA (Cooperativa de Reciclagem Unidos pelo Meio Ambiente) e como diretor-presidente da Associação Nacional dos Catadores (Ancat).

Em sua fala, o Roberto afirmou que no Brasil existem cerca de 1 milhão de catadores e a maior parte deles não atua em cooperativas de lixo e fazem o trabalho de forma individual.

Resíduos não recicláveis

Na sequência, Cintia Tieme Kita assumiu o palco para falar sobre os resíduos gerados que não são recicláveis.

“No Brasil, geramos em média 78 milhões de resíduos todos os anos e apenas 5% à 7% são recicláveis”.

Disse a líder da TriCiclos Brasil, empresa especialista na customização de soluções para economia circular e de inovação para redesign de produtos e serviços.

Com uma longa trajetória em atuações relacionadas a gestão do meio ambiente, a ambientalista trouxe o diálogo com a intenção de mudar o cenário atual e incentivar o ato da reciclagem entre todos presentes.

Hip Hop presente no seminário FRUTO

O artista da cena Hip-Hop brasileira, Thaide, também esteve entre os palestrantes da manhã de sábado e contou sobre a sua colaboração e aprendizados no movimento Recicla Sampa, que visa ampliar e incentivar a coleta seletiva na capital por meio de uma plataforma online de amplo conteúdo que orienta os cidadãos com os devidos cuidados que devemos tomar durante o descarte.

Thaide é reconhecido por resgatar as essências do rap de raíz trazendo assuntos sociais relevantes em sua música.
O economista Lucas Araujo, responsável pela área de inovação e estratégia da International Paper, deu sequência na programação, trazendo diálogo sobre ações de cidadania e sustentabilidade da empresa com o objetivo de influenciar a geração de crianças que será o futuro do mundo.

“A importância da rede de relações de trocas é imensa. As pessoas se conectam entre si e influenciam o jeito de ser de uma ou mais pessoas, atingindo a grande massa.

Nessa rede de relações estão os grandes investidores e prestadores de serviço.

O incentivo à ações sustentáveis precisa ser estimulado aí”, conclui Lucas durante apresentação, onde mostrou ao público um pouco sobre o programa ‘Raízes Mogi Guaçu’, que estimula pais e filhos a plantarem mudas de plantas na cidade de Socorro.

Projeto prateleira


O projeto ‘PRETATERRA’ também esteve presente no palco do FRUTO.

Apresentado por Paula Costa e Valter Ziantoni, ambientalistas e idealizadores do projeto, relataram sobre a necessidade do incentivo ao investimento de agroflorestas no Brasil e a importancia em se compreender a cadeia produtiva para, com argumentos, não aceitar o que é imposto pela indústria.

Inspirados na ancestralidade da terra preta indígena – tipo de solo que é resultado do manejo de terra de mais de 4 mil anos

Os profissionais reforçam sobre a importância da agrofloresta nos tempos atuais ”A gente quer olhar para o futuro, nos baseando nas inspirações do passado para garantir este futuro”, comentou Paula.
Em ‘Millenials da Terra’, Lia Goes e o filho de 20 anos, Alexandre de Moura estiveram lado a lado apresentando detalhes do trabalho da Cooperapas em Parelheiros, que incentiva jovens na agricultura e o cultivo orgânico, para contar como a mãe, líder e membro consultivo de diferentes frentes inseriu o jovem filho no trabalho no campo.

Raízes no campo

“Sou bisneto, neto e filho de agricultores”, falou orgulhoso o jovem que representa a volta de uma nova geração ao campo, para comandar e gerir os próximos passos.

Com 46 agricultores da terceira idade, Lia se viu em um busca de uma nova geração para dar sequência no futuro ao trabalho que realiza, e encontrou dentro de casa esta continuidade no projeto.
Em da ONU para o FRUTO, a jovem Paloma Costa da Engajamundo e ISA lkevantou temas como os impactos da crise climática em toda a cadeia produtiva.

Autodenominada co-criadora do mundo, Paloma chamou a atenção dos presentes ao reforçar que os jovens devem ser inseridos nas discussões e não colocados como resolutores do problema no futuro;

“A gente é parte da solução, mas também da responsabilidade”;

E ainda completa sobre a necessidade de caminhar junto “Eu prefiro não dormir a ver esse mundo ruir”.

Atala no domingo


Encerrando o segundo dia de palestras, Felipe Ribenboim e Alex Atala encerraram o evento agradecendo.

“A sensação é de dever cumprido. O Fruto é esse espaço para escutarmos essas histórias, verdade e cutucadas.

A gente reaprende todas as vezes e o objetivo é sempre fazer melhor”, afirma Felipe.

Já Atala refletiu sobre a juventude presente no dia “ouvindo a todos me lembrei da música do Marcelo D2 que fala sobre evoluir com o filho.

A gente tem que aprender com quem está na frente da gente e nosso maior compromisso é engajar os jovens, pois temos que agir para quem vai estar aqui daqui a 5, 10, 20 anos.

Trazer essa geração para perto da gente é fundamental”.

Terceira edição do seminário FRUTO


A terceira edição do Fruto | Diálogos do Alimento aconteceu até domingo, sendo o último dia com programação aberta ao público e gratuita.

Para mais informações: https://fru.to/ e retiradas das senhas uma hora antes de cada atividade.
Todas as palestras doas dias 24 e 25 foram transmitidas ao vivo pelo canal do Fruto no Youtube e pelo UOL, na plataforma ECOA.

Estarão disponíveis na íntegra e legendadas a partir de fevereiro.

A edição 2020 é uma realização FRUTO | diálogos do alimento, com co-produção do Instituto ATÁ e Endemol Shine Brasil e parceria da Unibes Cultural.

Conta com Patrocínio Master AMA e Audi e Patrocínio International Paper.

Tem o apoio do Legado das Águas e Reenvolver e Media Partner do ECOA/UOL

Serviço:


Seminário FRUTO | DIÁLOGOS DO ALIMENTO
Local: Unibes Cultural – Rua Oscar Freire, 2.500, Sumaré, São Paulo
Data: 24, 25 (apenas convidados) e 26 de janeiro de 2020 (aberto ao público)
Horário: 09h às 18h.
Transmissão: Ao vivo pela internet no canal do Fruto no Youtube.
Redes sociais: @fru.to
Hashtag oficial: #FrutoBR
Lotação máxima filmes: 300 pessoas.
Lotação máxima Debates: 70 pessoas
Para a retirada do ingresso no domingo, os interessados deverão chegar com 1 hora de antecedência das atividades de interesse.


DIA 26/01
Das 11h às 12h – Planeta OCA. Espetáculo musical para família. Sem restrição de idade.
FILMES:
13h às 13:30h – Nuvens de Veneno (22 minutos)
13h45 às 14h – Ilha das Flores (15 minutos)
14h30 às 16h – Muito Além do Peso (1h e 24 minutos)
16h15 às 17h – Fonte da Juventude (39 minutos)
17h15 às 17h40 – série de curtas “Green Porno by Isabella Rossellini” (25 minutos)
DEBATES:
13h às 14h20 – FERMENTADOS. Mediação: Gabriela Monteleone. Com: Fernando Goldestein e Leonardo Andrade (Cia dos Fermentados) ; Flavia Maculan (Toast) ; Luis Henrique Zanini (Era dos Ventos) ; Lis Cereja (Enoteca Saint Vin Saint) ; Cilene Soarin (Mestre Cervejeira, consultora)

15h15 às 16h15 – BEBIDAS BRASILEIRAS. Mediação: Gabriela Monteleone.

Com: Felipe Januzzi (Mapa da Cachaça e Ethlylica) ;

Jerônimo Villas Boas (ecolólogo, Reenvolver) ;

Neli Pereira (jornalista, Espaço Zebra)

Sobre o Seminário FRUTO

Criado pelo chef Alex Atala e pelo produtor cultural Felipe Ribenboim, com chancela do Instituto ATÁ, o seminário FRUTO | diálogos do alimento é uma plataforma de engajamento e mobilização para diálogos em torno da alimentação, sustentabilidade, desafios e soluções do nosso tempo e para os próximos anos.

O evento, seminário FRUTO que nasceu em 2018, acontece anualmente em São Paulo, visando a necessidade de discutir e dialogar sobre a reorganização e os problemas que envolvem a alimentação mundial, levando a todos a mensagem de que o maior elo entre a natureza e a cultura é a cozinha.

A programação varia a cada edição, possui alcance internacional com palestrantes de diferentes nacionalidades e campos de atuação, tendo transmissão ao vivo pela internet no canal do Fruto no Youtube e no UOL, pela plataforma Ecoa.

Você também pode gostar

Deixe um Comentário