Home Noticias Microsoft reúne representantes de empresas brasileiras em terceira reunião do AI Industry Board

Microsoft reúne representantes de empresas brasileiras em terceira reunião do AI Industry Board

por SimbiekJP
mesa com computadores e teams aberto

Com o objetivo de promover discussões sobre a adoção e o uso responsável da Inteligência Artificial, a companhia reuniu representantes de diversas empresas brasileiras para debater possíveis oportunidades de atuação conjunta

 Aconteceu em dezembro de 2020 a terceira reunião do AI Industry Board, grupo criado pela Microsoft para promover discussões sobre os desafios, as oportunidades e o uso responsável da Inteligência Artificial (IA) entre representantes de diversas empresas e organizações do país. O encontro teve como foco a elaboração colaborativa de uma carta de princípios para o uso responsável da tecnologia, além da definição de possíveis ações e pilares de atuação conjunta do grupo.

O encontro, realizado por videoconferência pelo Microsoft Teams, contou com a presença de Tânia Cosentino, presidente da Microsoft Brasil, além da participação de representantes de empresas brasileiras dos setores de finanças, telecomunicações, mineração, energia, saúde e mídia. Os membros do fórum debateram a importância da ampliação do acesso à educação básica e tecnológica no país, além de iniciativas de capacitação e requalificação profissional para o desenvolvimento e implementação de um ecossistema nacional de Inteligência Artificial inclusivo e igualitário.

Durante a reunião, o diretor de Pesquisa da América Latina na FrontierView, Pablo Gonzales Alonso, apresentou o estudo “A Inteligência Artificial (IA) na era da Covid-19: Otimizando o papel da IA na geração de empregos e crescimento econômico na América Latina”, que inclui uma análise sobre como a economia, a produtividade e os empregos no Brasil podem ser impulsionados se o país maximizar sua adoção de IA, considerando a aceleração da transformação digital que ocorreu durante a pandemia da COVID-19. O levantamento aponta que, em um cenário de benefício máximo, em que as empresas e o governo usem a IA para expandir suas operações e que o mercado de trabalho do Brasil possa atender à demanda por novos trabalhos habilitados pela IA, espera-se que o uso da tecnologia adicione até 4,2 pontos percentuais no PIB do país até 2030.

De acordo com o levantamento, as desigualdades sociais e de gênero seguem sendo grandes desafios para que o Brasil possa se beneficiar de todas as oportunidades trazidas pela Inteligência Artificial. A pesquisa aponta a necessidade de estímulo à maior participação das mulheres nas áreas de STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em português), além da ampliação do acesso à educação para todos os brasileiros, independentemente de sua origem socioeconômica.

“Para que o Brasil aproveite todo o potencial da Inteligência Artificial e sua população se beneficie de forma igualitária, é necessário promover uma educação tecnológica inclusiva. O apoio a iniciativas que fomentam a participação de mulheres e da população de baixa renda no mercado são essenciais para que estes grupos se beneficiem da crescente demanda da indústria por novos profissionais, e para que possam ter uma participação relevante na tomada de decisões e no desenvolvimento de novas soluções”, afirma Alonso.

Para endereçar esses desafios, a Microsoft possui uma série de iniciativas que buscam auxiliar na capacitação e recapacitação de profissionais em tecnologia. Em outubro, a companhia lançou o programa Microsoft Mais Brasil, um plano abrangente para contribuir com o crescimento do país que engloba a atuação do AI Industry Board. O programa inclui a plataforma de ensino remoto e gratuito “Escola do Trabalhador 4.0”, desenvolvida pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (SEPEC/ME) em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). A plataforma oferece cursos da Microsoft por meio da ferramenta Microsoft Community Training, e está disponível para brasileiros de todo o país com a capacidade de atender até 5,5 milhões de candidatos a empregos até 2023.

Desde julho deste ano, a companhia possui um programa global, juntamente com o LinkedIn, para a capacitação de pessoas com cursos gratuitos pensados de acordo com as profissões mais demandadas e habilidades mais desejadas no mercado. A iniciativa já impactou mais de 10 milhões de pessoas globalmente, e foi lançada no Brasil em outubro, com 9 rotas de aprendizagem e um total de 96 cursos de capacitação em português. A expectativa é de que 25 milhões de pessoas em todo o mundo sejam atingidas pela iniciativa até março de 2021.

Com foco na ampliação do acesso à capacitação em Inteligência Artificial, a Microsoft também mantém a plataforma de ensino remoto AcademIA, que disponibiliza 12 módulos gratuitos sobre a tecnologia, com conteúdo que abrange desde introdução básica até linguagens de programação e possíveis aplicações em soluções reais.

“Garantir que o potencial da Inteligência Artificial beneficie todas as pessoas e empresas de forma igualitária é um dos temas prioritários do AI Industry Board. Durante a reunião, debatemos possíveis caminhos de atuação conjunta para que o acesso à informação, educação e qualificação profissional em tecnologia esteja disponível para todos os brasileiros”, afirma Alessandra Del Debbio, Vice-Presidente Jurídica e de Assuntos Corporativos da Microsoft Brasil.

O AI Industry Board é uma iniciativa que faz parte do compromisso da Microsoft para a discussão do uso ético e responsável da Inteligência Artificial no Brasil. O Comitê, no entanto, pertence a todas as empresas e organizações que fizeram parte deste pacto para o desenvolvimento da IA, a fim de colaborar para o progresso científico e trabalhar em conjunto para endereçar os desafios e as oportunidades trazidas pela tecnologia.

Fonte: https://news.microsoft.com/

Você também pode gostar

Deixe um Comentário