Home Noticias Maratona UNICEF Samsung: jogo estimula busca por elementos químicos para dar origem a organismos vivos

Maratona UNICEF Samsung: jogo estimula busca por elementos químicos para dar origem a organismos vivos

por SimbiekJP

Aplicativo FindLab foi desenvolvido por alunos da equipe Quartel Otaku, de Minas Gerais, e engloba conteúdos de geografia, química e biologia

Reprodução das funções do app

 

Jogos de realidade aumentada em smartphones têm se popularizado nos últimos anos e a equipe Quartel Otaku, selecionada para a fase final da Maratona UNICEF Samsung, decidiu apostar nesse formato para criar o aplicativo FindLab. Ao unir geografia, química e biologia, o app cumpre o objetivo de promover conteúdos interdisciplinares em aplicação mais leve e divertida para os alunos do ensino médio.

 

O FindLab funciona como um famoso jogo de capturar monstrinhos pelas cidades: o jogador cria seu avatar e explora diferentes ambientes caminhando para encontrar os mais variados elementos químicos, que deverão ser combinados até que um organismo simples ganhe vida e seja cuidado. A ideia foi toda desenvolvida pelos estudantes, que cursam Engenharia da Computação, e empolgou a professora responsável pela equipe do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), Fabiana Pereira, mas era preciso adaptar os próximos passos em um novo momento que se desenhava.

 

“Estávamos prestes a levar o jogo para testes com alunos do ensino médio quando o cenário se transformou e as atividades nas escolas foram suspensas. A equipe, que foi fantástica em todo o processo, rapidamente adaptou o app para que os usuários pudessem procurar os elementos químicos sem sair de casa e desde então recebemos muitas avaliações positivas e sugestões para aprimorar o aplicativo”, explica Fabiana.

 

A professora conta que a Maratona UNICEF Samsung foi apresentada a ela pelos próprios alunos, que acreditavam ter em mãos uma boa base técnica para criar o jogo, mas que precisavam de um suporte sobre o conteúdo das disciplinas. Fabiana, então, criou uma rotina de revisão das matérias junto com os estudantes e o resultado foi positivo.

 

“Durante as revisões, o próprio grupo percebeu como era melhor estudar com essa interdisciplinaridade. A geografia é aplicada nos recursos de geolocalização e os conceitos de química e biologia ganham forma a cada etapa do app”, observa a professora e biologia.

 

O Quartel Otaku, formado pelos estudantes Alexandre Luis Ribeiro Martins e Thiago Fernandes Dornelles e com apoio de Antônio Pierre Martins Vieira e Marcus Vinicius Morais Oliveira, pretende publicar o FindLab ainda neste ano e criar novas possibilidades para o jogo, com a criação e o desenvolvimento de organismos mais complexos e como eles poderão impactar a natureza. O grupo mineiro e outras 18 equipes agora aguardam a cerimônia de encerramento da Maratona UNICEF Samsung, prevista para o fim de agosto, depois de terem passado por mentorias e avaliações nos últimos meses.

 

“Os trabalhos por projetos, como os que incentivamos na Maratona UNICEF Samsung, são muito importantes para estimular habilidades e competências nos estudantes. E quando isso encontra conteúdos interdisciplinares, o poder de transformação é ainda maior. E nós da Samsung, sob nossa visão global de Responsabilidade Social, ‘Together for Tomorrow! Enabling People’, nos encantamos por ver alunos tomando iniciativas e se preocupando em deixar um legado para as próximas gerações com seus projetos”, frisa Isabel Costa, Gerente de Cidadania Corporativa da Samsung Brasil.

 

Fonte: https://news.samsung.com/

Você também pode gostar

Deixe um Comentário