Home Noticias A Realidade aumentada a serviço do varejo

A Realidade aumentada a serviço do varejo

por Paulo Fernandes Maciel
Notebooks com imagens de Realidade virtual

A utilização da realidade aumentada a serviço do varejo

Quer gerar interação da marca com o consumidor? Muito bem. Tenha como premissa incluir a realidade aumentada e virtual em suas estratégias.

Notebooks com imagens de Realidade virtual

Há muito disseminada no universo tecnológico, no comércio ganha cada vez mais espaço por terem o poder de transformar a atividade de fazer compras, criando uma experiência melhor, diferente e personalizada para o cliente.

As duas tecnologias, usadas juntas ou separadamente, trazem inúmeras possibilidades de revolucionar o dia a dia de uma loja de varejo, oferecendo diversas oportunidades no desenvolvimento do negócio e engajamento de marcas.

 

Diretora da TOP PEOPLE acredita que o uso de tecnologias pode ser um diferencial e tanto para a experiência de compra dos clientes

Para Ádila Ribeiro Berretella, diretora da TOP PEOPLE, empresa especializada em trade marketing e recrutamento e seleção, usar essas tecnologias no varejo pode ser um diferencial e tanto para a experiência de compra dos clientes.

Com elas, surge a possibilidade de simular situações como provas de roupa e maquiagem e até mesmo ver funcionar novos eletroportáteis:

“Mesclar a realidade com o mundo virtual tem ocupado grande espaço na rotina das pessoas, então por que não utilizar isso a favor do varejo?”

De acordo com levantamento do Worldwide Retail 2018 Predictions (Previsões para o Varejo em 2018), feito pela Internacional Data Corporation – IDC para a garantia das vendas e satisfação do consumidor, até 2021, respondendo às expectativas de experiência das partes interessadas, os varejistas que usarem Inteligência Artificial (AI), Realidade Aumentada (AR) e Internet das Coisas (IoT) para o envolvimento dos funcionários e clientes verão os níveis de satisfação do cliente aumentarem em até 20%, a produtividade dos funcionários expandir em até 15% e o estoque evoluir em até 25%.

O fato é que os consumidores querem interação e têm altas expectativas em relação ao varejo, pois já sabem do que a tecnologia é capaz.

E ainda que o orçamento para projetos de tecnologia em marketing seja curto, a utilização de modelos já implantados pode tornar viável que uma empresa de médio porte tenha sua própria ação com soluções 3D, por exemplo.

O fundamental é que indústria e varejo estejam conscientes dos benefícios do uso de ferramentas tecnológicas e como elas podem gerar aumento de vendas e fidelização de clientes.

Saiba mais em www.toppeople.com.br

Você também pode gostar

Deixe um Comentário