Home Mídia Corporativa Wheaton doa 30 toneladas de alimentos e 1,5 mil cobertores para o Fundo Social de São Bernardo durante pandemia

Wheaton doa 30 toneladas de alimentos e 1,5 mil cobertores para o Fundo Social de São Bernardo durante pandemia

por admin

O Grupo Wheaton, empresa líder nacional no fornecimento de embalagens de vidro para os segmentos de perfumaria, cosméticos e farmacêutico, realizará uma doação de 30 toneladas de alimentos nesta quarta-feira, dia 24 de junho. As cerca de 2 mil cestas básicas serão entregues para comunidades carentes em São Bernardo do Campo.

As entregas serão realizadas ao Fundo Social de Solidariedade (FSS), que foi criado em 1991 pela Prefeitura de São Bernardo. O FSS desenvolve projetos sociais e trabalha para contribuir com a comunidade do município do ABC Paulista.

Dener Goudinho, Gerente de Recursos Humanos e Logística da Wheaton, explica que a doação dará prosseguimento a uma série de ações de solidariedade feitas pelo grupo ao Fundo. Desde o início da pandemia, o grupo já entregou outras remessas de alimentos e produtos de higiene.

Além dos alimentos, na próxima rodada de ações serão doados 1,5 mil cobertores, já que com a proximidade do inverno, que chegará ao Brasil em 20 de junho, o frio deixa essa população ainda mais vulnerável.

A Wheaton também tem realizado uma série de medidas para combater o coronavírus nas dependências da fábrica no ABC Paulista. “Foram adquiridas câmeras térmicas para medir a temperatura dos profissionais e ainda túneis de desinfecção, utilizados antes do acesso à fábrica”, pontua Dener. As câmeras térmicas, além de aferir a temperatura, substituem o leitor de crachás e também fazem o controle de acesso à fábrica.

Recentemente, foram instaladas divisórias nas mesas do refeitório e sinalização de piso orientando o distanciamento nas filas deste local, enquanto os uniformes foram reformulados, transformados em capas para facilitar a retirada e reduzir o tempo dos profissionais nos vestiários para evitar aglomeração.

A Wheaton não parou os trabalhos, em respeito ao Decreto Estadual de São Paulo Nº 64.881 que pontuava que as indústrias eram parte dos serviços essenciais ao país. De acordo com o Observatório Econômico da Universidade Metodista, a atividade industrial representa pouco mais de 23% do Produto Interno Bruto (PIB) da região do ABC, uma das mais tradicionais do país nesse setor da economia. No âmbito nacional, as indústrias representam 18,5% do PIB.

Segundo o IBGE, em 2015 a indústria em São Bernardo teve um Valor Adicionado Bruto (VAB) de mais de R$ 9 bilhões, ficando atrás somente do valor girado pelo setor de serviços (R$ 21 bilhões).

E para continuar funcionando nesse que é um dos ramos mais importantes da economia local e nacional, a Wheaton teve a preocupação de adotar as medidas sanitárias mais corretas e modernas. Logo após a declaração oficial da quarentena no Estado de São Paulo foram realizadas diversas ações como:

– Suspensão de viagens e eventos externos e internos;

– Fechamento da loja de fábrica;

– Aumento dos pontos de disponibilização de álcool em gel em todo o parque fabril;

– Distribuição de comunicados com orientações a medidas de prevenção da Covid-19;

– Campanha de vacinação contra o vírus da gripe Influenza;

– Distribuição de mais de 4 mil frascos de álcool em gel para os profissionais da empresa levarem para a casa;

– Contratação de empresa terceira para desinfecção dos ônibus fretados, catracas de acesso, banheiros, vestiários e áreas de maior movimentação de pessoas;

– Distribuição de máscaras de proteção e informes sobre o manuseio e armazenamento correto das peças, além de disponibilizar máscaras modelo “face shield” para profissionais que exerçam funções de maior exposição e contato com outras pessoas

Além dessas ações, o Grupo também adotou uma série de medidas que visam evitar aglomerações e aumentar o distanciamento social, como a flexibilização dos horários de entrada e saída, bem como a liberação dos profissionais já uniformizado à empresa, para otimizar o tempo de troca e reduzir o tráfego nos vestiários.

Nas áreas produtivas, houve um redimensionamento da produção para aumentar o espaçamento entre os profissionais, além da redução da produção pela parada de um forno, antecipando-se uma reforma prevista inicialmente para o final deste ano.

“Com essas e outras medidas adotadas reforçamos nosso comprometimento com a responsabilidade social, sempre visando fortalecer as relações com a sociedade e proporcionar aos nossos profissionais um ambiente de trabalho mais seguro”, reforça Dener Goudinho.

Você também pode gostar

Deixe um Comentário