Home Mídia Corporativa Fabricante de cloro no Estado do Rio de Janeiro cria programa de integridade

Fabricante de cloro no Estado do Rio de Janeiro cria programa de integridade

por admin

As empresas estão sujeitas a regulamentações que abrangem o setor em que operam, o trabalho que realizam e as pessoas que empregam. Além disso, cada empresa tem um padrão de comportamento. Para garantir que tudo isso esteja em conformidade, o “compliance” entra em ação – seja como um departamento interno, seja na forma terceirizada. Entre muitas mudanças que vem implementando desde que se estabeleceu no Brasil, a Katrium Indústrias Químicas recentemente formatou um Programa de Integridade. A empresa – que há seis anos assumiu um negócio que teve início em 1948, no Rio de Janeiro – tem como um dos principais objetivos atender ao mercado latino-americano de sais de potássio e derivados do cloro, sendo a única fabricante do cloro no Estado.

De acordo com José Rosenberg, diretor geral da empresa, a implementação do Programa de Integridade – que incluiu a terceirização do serviço do canal de denúncias – demonstra alinhamento com uma conduta eticamente correta e respeitadora da lei – que deveria ser natural nas empresas. Ou seja, a Katrium tem tolerância zero com tudo o que não é correto, seja nas relações pessoais, seja no trato comercial ou ainda no relacionamento com a população do entorno e instâncias governamentais.

“Estar em conformidade com as leis, regulamentações, regras e políticas deve ser a base das operações internas e comerciais. Além de manter a legalidade, é fundamental estabelecer padrões, diretrizes e principalmente um comprometimento com um conjunto de valores – com regras éticas rígidas de conduta interna e externa”, reforça Rosenberg.

Em setores como a indústria de produtos químicos, espera-se que a empresa siga um conjunto de valores que abordem de forma proativa e direta questões sensíveis. Uma empresa cujas atividades comerciais têm implicações ecológicas deve, portanto, também comunicar bem seus padrões ambientais e de sustentabilidade e enfrentar críticas. Isso tem um efeito positivo em sua credibilidade e nas relações com seus stakeholders. Na Katrium, a participação da comunidade do entorno é fundamental e a empresa vem tentando corrigir pontos críticos enquanto moderniza o parque industrial.

De acordo com Thiago França, diretor-presidente da Proethic Consultoria de Compliance, o contrato com a Katrium tem pouco mais de um ano e uma atuação orientada por princípios de respeito e ética. “Isso demonstra que a empresa também se preocupa em atuar de forma sustentável, respeitando seus colaboradores, o ambiente e os processos internos e externos, em conjunto com a melhor oferta de acordo com a demanda de seu cliente, estabelecendo as bases para uma cultura de integridade forte e perene”.

Para França, investir em um Programa de Integridade bem estabelecido e atuante pode inclusive potencializar a imagem da organização perante o mercado. “É uma ótima maneira de ampliar o valor do serviço ou produto ao cliente, conferindo à voz do cliente um alcance maior quanto a sua experiência com a empresa. Dessa maneira, há um maior entendimento quanto às necessidades dos clientes e, a partir disso, é possível desenvolver soluções mais assertivas, experiências positivas e um relacionamento duradouro e de confiança, resultando em clientes mais engajados e satisfeitos”.

No caso da Katrium, se um denunciante decide registrar um incidente, ele pode acessar um canal personalizado de denúncias 24 horas por dia, sete dias por semana – e de forma anônima, se preferir. Ou ainda pode entrar em contato por telefone, durante horário comercial, se optar por falar pessoalmente sobre o assunto. A denúncia é recebida de forma confidencial, independente e livre de conflitos de interesses.

“Tão logo nossa equipe recebe uma denúncia ou reclamação, tem início um processo de análises e categorizações do relato conforme uma Matriz de Risco desenvolvida especialmente para a Katrium. Por fim, a denúncia é encaminhada para o Comitê de Ética de acordo com o fluxo definido pelo Programa de Integridade (Compliance). Todo denunciante recebe um número de protocolo para acompanhar o andamento do processo de investigação – que tem um prazo também predefinido para ser solucionado. O objetivo da Katrium não é acumular reclamações, mas soluções”, conclui França.

Fontes:
José Rosenberg, diretor geral da Katrium Indústrias Químicas S.A. www.katrium.com.br
Thiago França, diretor-presidente da Proethic Consultoria de Compliance www.proethic.com.br

Website: http://www.katrium.com.br

Você também pode gostar

Deixe um Comentário