Home / Ecoverde / Expodireto tem – Recanto Temático que percorre os Caminhos da Soja no Rio Grande do Sul

Expodireto tem – Recanto Temático que percorre os Caminhos da Soja no Rio Grande do Sul

São 28 cenários divididos por décadas e momentos marcantes da história do Rio Grande do Sul, envolvendo a cultura do grão – Uma iniciativa de Emater para resgatar a história do cultivo da soja e outros grãos no RS.

 

Imagem Expodireto Emater

Foto: Divulgação EmaterRS-Ascar

O Recanto Temático que a Emater e a Cotrijal apresentam este ano, na Expodireto, tem a soja como protagonista e traz um resgate histórico desta cultura tão importante para o setor da agropecuária do estado e do país. No Caminhos da Soja no Rio Grande do Sul, uma linha do tempo mostra desde a chegada do grão ao estado, com suas aptidões, usos e expansão, até os dias de hoje.

 

“Esta é uma evolução histórica importante que deve ser preservada. Nós somos responsáveis por fazer novos caminhos e precisamos contar com a tecnologia para isso”, destacou o governador José Ivo Sartori em visita ao espaço.

O Recanto Temático, localizado na área da Emater na feira, apresenta 28 cenários, divididos por décadas e momentos marcantes da história do Rio Grande do Sul, envolvendo a cultura do grão. “Nosso trabalho foi buscar informações, fazer uma série histórica sobre a cultura da soja, para saber desde quando passou a ser recomendada e aproveitada no RS”, falou o coordenador da Emater, Celso Siebert.

 

No local, os visitantes encontrarão fotos de época, figuras, ilustrações e objetos de época que apresentam a história da soja no estado. “Nós marcamos alguns fatos importantes dessa trajetória, mas o nosso objetivo é que cada visitante faça a sua leitura do Caminho, interprete à sua maneira”, completou Siebert.

Os Caminhos da Soja no RS

O primeiro fato que se tem notícias e que  marcou a presença da soja no Rio Grande do Sul aconteceu em 1923, com a chegada do Pastor Albert Lehenbauer em Santa Rosa, que trouxe sementes de soja e orientou alguns agricultores sobre o valor alimentício do grão para a engorda de animais. Pouco tempo mais tarde, em 1926, técnicos já recomendavam a soja como adubo verde.

Na década de 1940, o cultivo da cultura foi ganhando maior destaque e se tornou uma aposta certa um canal  para o produtores rural  gaúcho. O valor agregado à indústria, a possibilidade de utilização como forragem, bem como na alimentação humana, sob forma de grãos e farinha, sendo a mais rica fonte de proteína encontrada na natureza, foram algumas das razões que levaram os produtores a investir na cultura, reforçando o mercado agrícola.

A partir de 1960 a revolução dos transportes e a participação das cooperativas intensificou a produção. Na década de 1970, a Assistência Técnica e Extensão Rural fortaleceu o trabalho junto aos produtores, com ações sobre manejos necessários para desenvolver a soja.

 

A soja impulsionou a mecanização e o profissionalismo no campo, trouxe rentabilidade financeira nas lavouras, abriu mercados internos e externos, desenvolveu infraestrutura, transporte, secagem e armazenagem e trouxe conhecimento.

 

No Recanto Temático, os visitantes, além de acompanhar os caminhos percorridos pela soja, podem conhecer os diferentes produtos oriundos desta matéria prima, como o óleo, o biocombustível, a ração animal e os industrializados para o consumo humano.

 

O Recanto Temático está aberto à visitação até esta sexta-feira (6), das 8h às 18h.

 

 

Texto: Marcela Buzatto/Ascom Emater/RS-Ascar na Expodireto

Edição: Denise Camargo/Secom

 

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*