Home Artigos Instalação interativa no Museu do Amanhã mapeia desejos para o Rio

Instalação interativa no Museu do Amanhã mapeia desejos para o Rio

por Paulo Fernandes Maciel

‘Hackeando Meu Rio’ já recebeu cerca de 14 mil interações de todos os bairros.

Mostra de Interação

Festas, opções de lazer, arte, ciclovia e lugar para se refrescar são as principais preferências de mudança para o futuro da cidade. É o que aponta a visualização de dados em “Hackeando Meu Rio”.

A instalação concebida e realizada pelo estúdio criativo Ambos&&;

Dirigido por Barbara Castro e Luiz Ludwig – faz parte da exposição “Rolé pelo Rio Hackeado”;

Criação coletiva do Estúdio M’Baraká e do Laboratório de Atividades do Amanhã (LAA).

A mostra, que ficará em cartaz até o dia 30 de abril;

Propõe o empoderamento das cidades por pessoas inquietas, chamadas de “hackers”.

O LAA é apresentado pelo Banco Santander.

Mostra com a interação Rio

Neste espaço, o visitante é convidado a apontar o bairro que ama e a escolher até três elementos que gostaria de mudar, na perspectiva de iniciativas cidadãs de ocupação urbana.

Por fim, observa a projeção com os desejos para o local eleito.

“É criada uma experiência coletiva dentro do Museu.

Há um estímulo ao envolvimento ativo com a cidade e, ao mesmo tempo, é reforçado o vínculo afetivo entre os participantes que visualizam desejos semelhantes”, conta Barbara Castro.

Mostra interação Rio

Os bairros com mais interações são Barra da Tijuca, Copacabana, Tijuca, Jacarepaguá, Campo Grande, Botafogo e Ipanema. Das 13.677 participações contabilizadas até o final de janeiro, em 17% foi escolhida a Barra da Tijuca, em 10% Copacabana e em 7% a Tijuca.

“Vale destacar que a maioria dessas interações é feita por grupos de duas a quatro pessoas, então envolve um público bem maior do que o que está sendo contabilizado”, observa Luiz Ludwig, sócio da Ambos&&.

Já houve interação com todos os bairros na instalação.

“Como o público é parte da escolha do bairro que ama, envolve, além dos moradores, os visitantes de outras cidades que frequentam ou que estejam hospedados neles.

Talvez por isso a Barra e Copacabana estejam liderando”, avalia Ludwig.

Na Barra, a visualização de dados aponta 1.180 desejos para mais festas, 722 para mais opções de lazer e 402 para arte.

Em Copacabana, 659 optaram por mais festas, 470 por mais opções de lazer, e 255 por lugar para se refrescar.

Ciclovia está apontada como demanda de 2.276 interações, sendo 14% para a Barra, 9% para a Tijuca, 7% para Copacabana e 5% para Jacarepaguá.

Foram 1.711 desejos para mais hortas comunitárias.

Essa demanda foi apontada por 34% dos participantes do Jardim Botânico, e 26% de Laranjeiras.

Sobre a Ambos&&
Ambos&& é dirigida por Barbara Castro e Luiz Ludwig e está na incubadora da PUC-Rio: o Instituto Gênesis.

É um estúdio de criação em que ambos, arte e design, se complementam em projetos de interaição para exposições e eventos.

Eles são concebidos a partir de cinco pilares: design, arte, tecnologia, educação e experiência.

Assista ao

Vídeo com a instalação interativa de alta tecnologia: https://vimeo.com/203847221

O Museu do Amanhã
Eleito o melhor museu da América do Sul e Central pelo Leading Culture Destinations Awards, “Oscar” britânico do setor, o Museu do Amanhã, espaço gerido pelo Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG), se consolidou como uma das principais atrações turísticas e culturais do país no seu primeiro ano de operação.

O Museu do Amanhã é uma iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro, concebido e realizado em conjunto com a Fundação Roberto Marinho tendo o Banco Santander como patrocinador Máster.

A rede de patrocinadores do Museu do Amanhã também inclui Shell, IBM, IRB-Brasil RE, e ENGIE.

Além desses, Governo do Estado, por meio da Secretaria do Ambiente,

E integrado com o Governo Federal, pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), apoiam a instituição.

O local foi o mais fotografado no Brasil em 2016, de acordo com o Instagram, e também ficou na primeira colocação entre as instituições mais visitadas do país com a marca de 1,4 milhão de visitantes. Em seu primeiro ano de operação, o Museu do Amanhã firmou parcerias e acordos de cooperação científica com instituições de renome como Google, Science Museum Group, British Council, ACNUR- ONU, Fundação Dom Cabral e Fundação Engie, entre outras.

Anote:
O quê?

‘Hackeando Meu Rio’ é uma instalação interativa com visualização de dados sobre os desejos para o futuro da cidade.

Um dos espaços de interação apresentado na exposição ‘Rolé pelo Rio Hackeado’
Onde? Museu do Amanhã – Praça Mauá, 1, Centro, Rio de Janeiro, RJ.
Até quando? Até o dia 30 de abril de 2017.
Dias e horários: Terça a domingo, das 10h às 18h (com a última entrada às 17h).
Quanto? R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Às terças, a entrada é gratuita.

Você também pode gostar

Deixe um Comentário