Home Artigos As primeiras empresas se comprometem a adquirir créditos de carbono agrícola verificados por meio da Indigo Carbon, uma etapa crítica na transição para uma agricultura benéfica

As primeiras empresas se comprometem a adquirir créditos de carbono agrícola verificados por meio da Indigo Carbon, uma etapa crítica na transição para uma agricultura benéfica

por admin
Serviços ambientais

A Indigo Agriculture, uma empresa dedicada a aproveitar a natureza para ajudar os agricultores a alimentar o planeta de forma sustentável, anunciou hoje os primeiros compromissos de grandes marcas globais para comprar créditos de carbono agrícola verificados através da Indigo Carbon.

Os compromissos de empresas, incluindo Boston Consulting Group, Shopify, Barclays, JPMorgan Chase, Givewith, IBM, Dogfish Head Craft Brewery e New Belgium Brewing representam um marco importante no esforço global para alavancar a agricultura como uma solução climática ao criar incentivos financeiros para “cultivo de carbono.”

As organizações se comprometeram a um preço de compra a crédito de US$ 20/tonelada de equivalentes de dióxido de carbono sequestrado e abatido na safra de 2020, fornecendo um incentivo financeiro substancial e, no caso da Givewith, um novo mecanismo de financiamento, para acelerar a adoção de métodos de cultivo comprovados para reduzir emissões nas fazendas, remover dióxido de carbono da atmosfera e reabastecer um reservatório de carbono natural crítico: o solo.

Para gerar créditos de carbono agrícolas do mais alto calibre, a Indigo utilizará e apoiará novas metodologias para medir e verificar o impacto líquido das emissões de GEE nas fazendas das mudanças nas práticas de gestão. Desenvolvido por meio de um processo rigoroso e transparente pela Reserva de ação climática, uma organização sem fins lucrativos que gerencia os principais registros de projetos de compensação de GEE, o Protocolo de Enriquecimento do Solo é o primeiro a permitir o monitoramento abrangente e escalonável de longo prazo das emissões, redução e remoção de carbono.

Por meio da implantação do protocolo da Reserva, a Indigo Carbon permite que as empresas se voltem para a agricultura como um meio verificado e baseado na natureza de atingir seus objetivos climáticos.

“O trabalho dos fazendeiros afeta a todos nós. Ao lado de nossos parceiros, a Indigo se orgulha de facilitar a demanda do mercado e o investimento dos agricultores pelo papel único e importante que desempenham na criação de um sistema agrícola que é mais benéfico para as pessoas e o planeta”, disse o CEO da Indigo, Ron Hovsepian. “A Indigo está empenhada em garantir que os agricultores estejam equipados com as ferramentas e soluções de que precisam para melhorar a resiliência econômica e ambiental de suas operações. Isso ocorre por meio do aumento da demanda por créditos de carbono agrícolas verificados, que apresentam um novo fluxo de receita para os agricultores, além de fornecer tecnologias digitais e microbianas inovadoras para cultivar alimentos e fibras mais sustentáveis.”

Metodologias rigorosas desenvolvidas por padrões líderes de carbono desbloqueiam a demanda do comprador

A nova metodologia de projeto de compensação da Reserva segue os mais altos padrões da indústria para medição, relatório e verificação de GEE. Para desenvolver a metodologia, a Reserva conduziu um processo rigoroso, transparente e de múltiplas partes interessadas, reunindo um grupo de trabalho de 21 membros de organizações importantes, como Woods Hole Research Center, Native Energy, C-Quest Capital, The Nature Conservancy e World Resources Institute entre outros. O Protocolo de Enriquecimento do Solo estará disponível para qualquer desenvolvedor de projeto de carbono nos EUA.

A Verra, a organização sem fins lucrativos que gerencia o Padrão de carbono verificado (Verified carbon standard, VCS), está nos estágios finais de desenvolvimento da Metodologia para melhoria da gestão de terras agrícolas (Methodology for Improved Agricultural Land Management, MIALM). A MIALM foi submetida a uma extensa revisão por um grupo de trabalho com várias partes interessadas da organização, formado por especialistas líderes nos setores público e privado, incluindo cientistas, agricultores, agências governamentais, acadêmicos, representantes da indústria privada e líderes de ONGs. A metodologia está atualmente passando por uma revisão final por validadores terceirizados e especialistas da Verra e deve ser aprovada no próximo mês.

Para assegurar ainda mais o mais alto grau de confiança nas metodologias, ambas as metodologias foram abertas e revisadas em resposta a comentários públicos.

As metodologias adotam uma abordagem única para quantificar as emissões líquidas de GEE nas fazendas em escala, incluindo a agregação de muitos agricultores em projetos agrupados, aproveitando novas tecnologias e empregando medições diretas de carbono orgânico do solo ao longo do tempo e o uso rigoroso de modelos avançados de processos biogeoquímicos. Eles são projetados para melhorar continuamente ao longo do tempo em resposta aos insights derivados da implementação de campo em larga escala, progresso na compreensão pública da ciência do carbono do solo e avanços no monitoramento, modelagem e técnicas de quantificação de GEE agrícolas.

“Como administradores da terra, os agricultores são responsáveis ​​por proteger um de nossos maiores recursos naturais”, disse Ed Smith, vice-presidente da Indigo Carbon. “Com a contribuição dos principais agricultores, cientistas, ONGs ambientais e outros, as metodologias da Climate Action Reserve e da Verra estabelecerão a base para um financiamento robusto de carbono agrícola.”

Além deimplantar metodologias líderes da indústria para medir e verificar as emissões líquidas de GEE nas fazendas em sua rede de produtores participantes, a Indigo continua comprometida com pesquisas em grande escala e parceria com cientistas para melhorar continuamente o conhecimento público das práticas agronômicas e métodos de quantificação.

Empresas líderes são pioneiras em investimentos em créditos de carbono agrícola

A fim de evitar os efeitos mais severos da mudança climática e alcançar as metas delineadas no Acordo de Clima de Paris, a ONU relata que o mundo deve atingir emissões de carbono zero líquido até 2050. Fazendo progresso em direção a esse futuro, as empresas estão se comprometendo com promessas de carbono zero líquido e alavancando o financiamento, a tecnologia e a inovação do setor privado para isso. A agricultura, frequentemente vista como um dos principais contribuintes para as mudanças climáticas, é uma parte crítica e pouco aproveitada da solução climática.

As empresas participantes estão entre as primeiras a alavancar créditos de carbono agrícola verificados como parte significativa de suas estratégias ESG, muitas das quais incluem compromissos de se tornar Zero Líquido. Representando marcas líderes em diversos setores, incluindo serviços financeiros (Barclays, JPMorgan Chase), alimentos e bebidas (Dogfish Head Craft Brewery, New Belgium Brewing), tecnologia (Givewith, IBM, Shopify) e serviços profissionais (Boston Consulting Group), o grupo demonstra o impulso do setor privado para soluções imediatas, acessíveis e mensuráveis ​​para a mudança climática.

“Precisamos mudar nossa mentalidade e utilizar o que a terra nos dá”, disse Mike Bretz, agricultor em Iowa. “Mais carbono no solo criará solos mais saudáveis, trará de volta a biologia e criará um sistema mais resiliente. E enquanto estamos nisso, podemos ajudar a salvar a Terra.”

“Cada quilo de verde em um campo vem de cerca de meio quilo de dióxido de carbono que as plantas arrancam do céu. Ao cultivar de forma a armazenar esse carbono no solo, os produtores têm o potencial de adicionar uma nova fonte de receita, melhorar suas terras e ajudar nosso meio ambiente”, disse Geoffrey von Maltzahn, cofundador e diretor de inovação da Indigo Ag. “O apoio demonstrado por essas marcas líderes é uma prova do poder da agricultura como tecnologia para ajudar nosso clima.”

“O BCG está animado com a parceria com a Indigo Agàmedida que desenvolve tecnologias promissoras. O mundo precisa de projetos de sequestro de carbono viáveis, escaláveis ​​e de alta qualidade para enfrentar a crise climática. Como parte de nossa recente promessa de atingir o impacto climático zero líquido até 2030, o BCG está comprometido em reduzir nossas emissões e remover nossa pegada restante com as soluções mais inovadoras baseadas na natureza e projetadas”, disse Rich Lesser, CEO do BCG.

“O mundo precisa de empreendedores ambiciosos como os da Indigo Ag para continuar avançando a fronteira de remoção de carbono e traçar o curso para aqueles que irão seguir”, disse Stacy Kauk, diretora do Fundo de Sustentabilidade da Shopify, que está trabalhando para estimular a inovação através das abordagens de longo prazo para lidar com as mudanças climáticas, inclusive o sequestro de carbono do solo.

“Parte de nossa estratégia de mudança climática é avançar no desenvolvimento de soluções eficazes baseadas na natureza. A abordagem da Indigo destaca a importância do solo como um “sumidouro de carbono”, além de proporcionar melhores benefícios para a agricultura regenerativa e retorno econômico para os agricultores. Os créditos de carbono verificados gerados pela Indigo Ag serão usados ​​pelo Barclays como parte de sua abordagem de compensação de carbono para emissões operacionais”, disse Elsa Palanza, Chefe Global de Sustentabilidade e ESG do Barclays.

“Desenvolver soluções que protejam o meio ambiente, apoiem o desenvolvimento sustentável e aumentem a economia é fundamental para enfrentar os impactos das mudanças climáticas. Ao dar aos agricultores uma maneira de acessar o mercado de compensações de carbono, a Indigo Ag está fazendo exatamente isso”, disse Marisa Buchanan, chefe de sustentabilidade daJPMorgan Chase, uma empresa líder em serviços financeiros globais que utiliza a Indigo Carbon para ajudar a alcançar seu recente compromisso operacional de neutralidade de carbono.

“A missão da Givewith é garantir que programas ambientais e sociais de alto impacto recebam o financiamento necessário para abordar as questões mais urgentes de nosso tempo. Por meio do lançamento doNet Zero Now, estamos comprometidos em ajudar as empresas a incorporar facilmente financiamento para programas de nossos parceiros como a Indigo Ag em negócios B2B para simultaneamente melhorar o ROI e criar um futuro mais sustentável para todos nós”, disse Paul Polizzotto, fundador e CEO da Givewith, uma empresa de tecnologia que impulsiona o crescimento dos negócios e valoriza as partes interessadas que também beneficia as pessoas e o planeta. Ao adicionar a Indigo Carbonàsua rede de fornecedores aprovados, a Givewith permite que as empresas obtenham facilmente créditos de carbono agrícola verificados por meio de suas transações B2B.

“Trabalhar com a Indigo para fabricar a Re-Gen-Ale,a primeira cerveja de origem rastreável a abordar as mudanças climáticas por meio da agricultura usando a Indigo Carbon, foi uma experiência verdadeiramente gratificante e estimulante. É um exemplo de como escolhas cuidadosas e sustentáveis, grandes e pequenas, podem impactar nosso meio ambiente, e isso nos ensinou sobre novas soluções baseadas na natureza que podemos implementar para reduzir nossa pegada de carbono e ajudar a combater as mudanças climáticas enquanto produzimos cervejas exclusivas e deliciosas. Esperamos continuar nosso relacionamento com a Indigoàmedida que preparamos mais lotes de Re-Gen-Ale”, disse Sam Calagione, fundador e cervejeiro da Cervejaria Dogfish Head Craft.

“Estamos muito impressionados com a mobilização em grande escala que a Indigo Ag alcançou. Suas compensações de carbono agrícola verificadas ajudarão empresas como a nossa a combater melhor as mudanças climáticas, ao mesmo tempo que injetam receita na comunidade agrícola. Para lidar com a rápida mudança do clima e o risco que isso representa para nossa economia, precisamos de soluções escaláveis ​​e geradoras de empregos como esta”, disse Steve Fechheimer, CEO da New Belgium Brewing.

Para saber mais sobre a Indigo Carbon e as oportunidades de apoiar os agricultores na adoção de práticas agrícolas benéficas, clique aqui.

SOBRE A INDIGO AG

A Indigo Ag melhora a rentabilidade do agricultor, a sustentabilidade ambiental e a saúde do consumidor com o uso de tecnologias digitais e de microbiologia natural. As descobertas científicas e as plataformas digitais da empresa beneficiam dezenas de milhares de produtores ao longo de milhões de hectares. Trabalhando em toda a cadeia de abastecimento, a Indigo Ag avança em sua missão de aproveitar a natureza para ajudar os agricultores a alimentarem o planeta de modo sustentável. Em 2019, a Indigo Ag sediou o evento inaugural Beneficial Ag entre as partes interessadas para cultivar uma comunidade crescente em torno da noção de que a agricultura pode ser mais benéfica para as pessoas e para o planeta, e lançou o Indigo Carbon, um programa que paga aos produtores para reduzir as emissões nas fazendas, remover o dióxido de carbono da atmosfera e melhorar a saúde do solo. Classificada em primeiro lugar na lista Disruptor 50 da CNBC em 2019, a Indigo Ag está sediada em Boston, estado norte-americano de Massachusetts, com escritórios adicionais em Memphis, Tennessee; Research Triangle Park, Carolina do Norte; América do Sul; e Basileia, Suíça.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

Allie Evarts

[email protected]

Fonte: BUSINESS WIRE

Você também pode gostar

Deixe um Comentário