Home Artigos Brasil deve ser 6º maior mercado do Google no mundo, diz CEO

Brasil deve ser 6º maior mercado do Google no mundo, diz CEO

por Agência Canal Veiculação

Segundo Schmidt, o Brasil está a caminho de se tornar o sexto maior mercado do Google

Em um período em que o Google pretende aumentar o número de novos escritórios na América Latina para se consolidar na região onde mais cresce no mundo, o Brasil se consolida como um alvo especial. “O Brasil está a caminho de se tornar o nosso sexto maior mercado”, afirmou o CEO do Google, Eric Schmidt, à agência Reuters, em Buenos Aires, na Argentina.

A receita do Google na América Latina aumentou entre 50% e 100% no ano passado, impulsionada pela recuperação econômica da região após a recessão provocada pela crise financeira mundial. “Isso significa que estamos quase duplicando (nosso faturamento) a cada ano”, disse Eric Schmidt. Só a América Latina representou entre 2 e 3% da receita global do Google de US$ 29,3 bilhões em 2010, que tem concentração nos Estados Unidos e na Europa. Mas Schmidt acredita que essa situação irá mudar. “Será uma porcentagem muito maior muito rapidamente”, falou Schimdt.

O Google tem aproximadamente 500 funcionários na América Latina, onde abriu novos escritórios em Santiago, no Chile, em Bogotá, na Colômbia, e em Lima, no Peru. A rede social Orkut, propriedade do Google, é um dos sites mais visitados no Brasil. Além do crescimento econômico, Schmidt assegurou que a melhoria na banda larga e a expansão do comércio eletrônico estavam impulsionando os negócios do Google na região. “A América Latina é nossa região de maior crescimento…praticamente todos os países estão crescendo agora entre 50 e 100%”, afirmou.

Schmidt disse que o Google não está ansioso para que seu serviço de vídeos YouTube se torne rentável. “A rentabilidade não é tão importante para nós. O que é realmente importante para o YouTube é construir um grande negócio para seus sócios”, afirmou ele, referindo-se aos anunciantes. O diretor-executivo da empresa explicou que o YouTube é “quase” rentável. Schmidt cederá em abril sua posição de diretor-executivo da companhia a seu cofundador Larry Page para assumir o cargo de presidente-executivo a fim de concentrar seus esforços nas alianças e relações com governos.

 

Foto: Reuters

Fonte

Você também pode gostar

Deixe um Comentário