Home / Artigos / O Vai e vem das coisas: Copo retrátil poderá diminuir a poluição.

O Vai e vem das coisas: Copo retrátil poderá diminuir a poluição.

Segundo estudos e projeções dos ambientalistas, a continuar nesse ritmo em 2050 teremos mais lixo que peixes nos oceanos.

Lixo

E segundo ambientalistas do projeto Tamar o Brasil recicla 3% do seu lixo plástico contra 35% da Europa.

A falta de valor comercial faz com que reciclemos tão pouco, mas somos campeões em reciclagem de cobre e principalmente alumínio.

Pensando nisso a YouTuber Fê Cortez, criou uma campanha “Menos 1 lixo”;

Que de certa forma traz um antigo conhecido das décadas de 50 e 60 passadas, principalmente nas estâncias hidrominerais de SP e MG, que é o bom e velho copo retrátil.

Extremamente prático, não volumoso e que com o seu uso pode evitar o descarte de bilhões de copos plásticos e economizar água na fabricação.

Claro que isso não agrada os fabricantes que por razões óbvias jamais incentivarão esse uso.

Assista o vídeo da Fê.

Pesquisadores afirmaram que a maior densidade mundial de lixo plástico de que se tem conhecimento fica numa pequena ilha inabitada do Oceano Pacífico.

Eles estimaram haver 37,7 milhões de peças plásticas, ou 17,6 toneladas, nas praias da ilha Henderson;

Que é parte do território ultramarino britânico Pitcairn, localizado entre a Nova Zelândia e o Chile.

Segundo o estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences;

Há de 21 a 671 itens plásticos por metro quadrado nas areias da ilha, incluindo uma ampla variedade de objetos;

Como brinquedos, escovas de dente, capacetes e isqueiros, nas mais variadas cores.

Para chegar a esses números, os pesquisadores limparam uma parte da praia e acompanharam o acúmulo diário de lixo.

Segundo eles, a estimativa é de que mais de 13 mil objetos alcancem a ilha todos os dias.

“A quantidade de plástico lá é realmente alarmante”;

Declarou a principal autora do estudo, Jennifer Lavers, da Universidade da Tasmânia, na Austrália, à agência de notícias Associated Press.

“Temos de repensar drasticamente nossa relação com o plástico.

É algo feito para durar para sempre, mas usado por alguns instantes e depois jogado fora”, acrescentou.

Segundo Lavers, é a localização da ilha que faz com que o plástico se acumule nas suas praias.

Com 3.700 hectares, a ilha Henderson fica na beira de um vórtice de correntes oceânicas conhecido como Giro do Pacífico Sul;

O que faz com que o oceano expila o lixo jogado por navios ou vindo da América do Sul nas suas praias.

About Paulo Fernandes Maciel

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*