Home / Noticias / Operadoras de cartão aderem a pagamentos em criptomoedas

Operadoras de cartão aderem a pagamentos em criptomoedas

A Mastercard processará pagamentos via Blockchain.

Mastercard

Pela primeira vez, a operadora de cartões Mastercard possibilitará o envio de dinheiro através de uma Blockchain ao invés do cartão de crédito.
Depois de dois anos trabalhando no desenvolvimento da sua própria versão da tecnologia Blockchain;

Que ficou conhecida depois do surgimento do Bitcoin, a Mastercard anunciou nesta sexta-feira, 20 de outubro;

Que está disponibilizando a sua Blockchain para determinados bancos e comércios como uma alternativa potencialmente mais eficiente para pagamento de bens e serviços.
Confirmando a tendência no crescimento da tecnologia subjacente das criptomoedas, a Mastercard é a segunda empresa;

Da lista de empresas da Fortune, revista de negócios norte-americana, a começar a facilitar pagamentos através da Blockchain.

Na segunda-feira, 16 de outubro;

A IBM revelou também ter adotado o processamento de pagamentos através da sua própria Blockchain entre os bancos do Pacífico Sul.
Assim como a IBM, a Mastercard também está focando em pagamentos entre empresas de diferentes países;

Como o principal objetivo da sua Blockchain, que inclusive só pode ser utilizada com convite prévio.

No entanto, a Blockchain da Mastercard difere-se da Blockchain da IBM, já que diferentemente da operação da empresa de tecnologia que apenas envia dinheiro em forma de Lumens, moeda virtual criada pela empresa sem fins lucrativos Stellar, a operadora de cartões opera independente de uma criptomoeda, aceitando portanto pagamentos em moeda tradicional local.

O posicionamento dentro do sistema financeiro

Não estamos usando criptomoeda, e não estamos introduzindo uma nova moeda digital no mercado, pois isso impacta em outros desafios, legais e regulamentares”;

Diz Justin Pinkham, vice-presidente da Mastercard Labs, laboratório de pesquisa que lidera as iniciativas de Blockchain da empresa.

“Se você fizer um pagamento, o que podemos fazer é transferir esses fundos da maneira que hoje fazemos com a moeda fiduciária, completou.
Essa proposta contrasta com as formas que a Blockchain foi usada até agora;

Em que atuam com uma criptomoeda em que foram vinculadas, como por exemplo com o Bitcoin e o Ethereum.
Apesar disso, Pinkham afirma que a Mastercard tem uma vantagem que as outras blockchains não possuem:

Uma rede que inclui 22 mil bancos e instituições financeiras em todo o mundo;

(Enquanto a IBM anunciou a inclusão de somente 13 bancos em sua blockchain).

Essa é uma consequência da dependência que as empresas ainda possuem em relação às moedas emitidas pelos governos para fazer negócios.
A Mastercard espera fornecer os benefícios da tecnologia blockchain, incluindo uma maneira mais segura;

E transparente de fazer e rastrear pagamentos, dentro do sistema financeiro existente, e sem a necessidade de uma moeda digital.

“O que estamos trazendo à mesa é uma combinação única da tecnologia blockchain a com a já operante rede da Mastercard”, disse Pinkham.

 

Custos reduzidos são atrativos à adoção

Uma das promessas da proposta da Mastercard é de que as empresas possam reduzir custos utilizando a blockchain para pagamentos entre países, que geralmente passam por diversos bancos estrangeiros acumulando taxas sobre taxas.

A Blockchain da Mastercard, no entanto, poderia eliminar esses intermediários;

Conectando o banco de um comprador diretamente ao fornecedor e executar o pagamento de forma mais eficiente.
Algumas empresas já se inscreveram para usar a blockchain da operadora de cartões;

Confirma Pinkham, embora ele tenha recusado dar nomes.
Os consumidores, porém, não poderão substituir a Blockchain da Mastercard pelos seus atuais cartões;

Pelo menos não em breve.

Pinkham também diz não ver o Bitcoin como uma ameaça.

“Sentimento que os pagamentos com cartão são simples, seguros e fáceis de usar, portanto atendem melhor às necessidades dos consumidores“.

Acrescenta.

Fonte: https://www.criptomoedasfacil.com

About Paulo Fernandes Maciel

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*