Home / Dicas / 5 dicas para quem deseja trabalhar em uma fintech

5 dicas para quem deseja trabalhar em uma fintech

Estar alinhado com os valores da empresa e disposto a se desenvolver junto com o negócio;

São iniciativas fundamentais para quem deseja trabalhar no mercado.

iZettle  pagamentos
São Paulo, 07 de abril de 2017 – Os últimos dois anos foram determinantes para a consolidação das fintechs no Brasil:

O número de empresas deste segmento passou de 54, em 2015, para 244 em 2017, segundo o último relatório da Fintechlab.

E o país já é o principal mercado para empresas que aliam tecnologia;

E finanças na América Latina, sejam elas desenvolvidas localmente ou filiais de grandes companhias.
Com investimentos superiores a R$ 1 bilhão, as fintechs agora seguem o caminho do amadurecimento.

As diversas oportunidades de atuação, principalmente nos segmentos de pagamentos e gestão financeira, aumentam a cada dia com a maior democratização dos meios de pagamentos, novas tecnologias e comportamento dos usuários, que buscam praticidade e baixo custo nas transações.
Atualmente, menos de 20% das fintechs no país têm mais de 50 funcionários;

Ou seja, há ainda muito espaço para construir uma carreira de sucesso no setor.

“As demandas das fintechs são diferentes de uma empresa tradicional, que, a rigor, trabalham com cargos bem definidos e promoções a longo prazo.

O mercado das fintechs exige mais do que um profissional bem qualificado: precisamos de pessoas que tenham versatilidade de habilidades, pois as áreas se interligam;

Que estejam dispostas a crescer junto e que tenham os mesmos valores que os nossos”, analisa Bianca Franzini, diretora da área de Gente e Cultura da iZettle, uma das primeiras fintechs suecas a chegar no Brasil, em 2013.
Questione sem medo
A primeira característica essencial para atuar em uma fintech é ser curioso, não importa em qual área de atuação.

As fintechs costumam ter equipes reduzidas, até porque muitas delas são recentes;

E não é raro as pessoas migrarem de uma área para outra.

É por isso que questionar, explorar e descobrir informações sobre a empresa é essencial. “Além disso, uma pessoa curiosa costuma ter grande bagagem cultural, o que só agrega para o trabalho”, observa Bianca.
Esteja pronto para mudar (sempre)
Outro aspecto muito valorizado pelas fintechs é a capacidade de adaptação.

Como estas empresas crescem em ritmo acelerado em todo o mundo, é muito comum o funcionário passar a ter uma nova posição após o aumento da equipe ou passar a conviver com novas pessoas em um curto período de tempo.

Ter boa comunicação, ser colaborativo e estar disposto a ajudar faz a diferença.
Prepare-se para o mundo
Ter um ou mais idiomas no currículo também é um bom diferencial;

Já que muitas vezes os produtos e tecnologia utilizados são estrangeiros.

Inglês é fundamental e entre as outras línguas em alta estão:
• Sueco, uma vez que Estocolmo se tornou uma das cidades-referência na criação de fintechs com faturamento superior a US$ 1 bilhão;
• Espanhol, pois muitas das fintechs no Brasil coordenam a expansão e atuação em outros países da América Latina;
• Mandarim, visto que a China está atrás apenas dos Estados Unidos entre os países que mais criaram fintechs de sucesso no mundo, segundo a lista da KPMG;
• Alemão, já que a Alemanha empregou mais de 13 mil pessoas em cerca de 400 fintechs nos últimos anos, segundo as consultorias Ernst&Young e Barkow Consulting.
Esteja pronto para novas rotinas
Pelo perfil disruptivo, as fintechs costumam ter formatos de trabalho mais flexíveis, como o home office. “Sabemos que as pessoas que atuam no mercado tradicional das finanças estão acostumadas com rotinas rígidas;

Então é essencial estar aberto a novas opções e pronto para se adaptar ao que a nova empresa propõe”, comenta Bianca.
Esteja aberto a mudar de carreira
Mais do que o curso formal, são as especializações e experiências que mais fazem;

A diferença na hora de se candidatar para uma vaga nas fintechs.

“Na iZettle, recebemos currículos de advogados, engenheiros e jornalistas para vagas diversas e o que realmente buscamos nos profissionais são as diferentes atuações desta pessoa.

Não nos prendemos a apenas um curso, mas sim ao que ele agrega às experiências da pessoa.

Temos, por exemplo, um advogado na área de mídia online, um jornalista trabalhando em inteligência de mercado e eu mesma, que sou formada em engenharia de alimentos, hoje atuo como diretora de Gente e Cultura”, finaliza Bianca.
Prestes a completar quatro anos no mercado brasileiro, o escritório da iZettle em São Paulo é o segundo maior da companhia no mundo.

A unidade brasileira atualmente conta com 65 funcionários e dobra o número de colaboradores a cada ano.
Sobre a iZettle
A iZettle é a empresa que está reinventando soluções de pagamentos e serviços financeiros.

Fundada em Estocolmo, em 2010, por Jacob de Geer e Magnus Nilsson;

A fintech opera no Brasil desde 2013 e está ajudando a impulsionar micro e pequenos negócios em 12 países:

Suécia, Finlândia, Dinamarca, Noruega, Reino Unido, Alemanha, Espanha, México, Holanda, França, Itália e Brasil.
A empresa está presente no ranking das 15 melhores e mais inovadoras fintechs da Europa, publicado pela revista Business Insider.

Além disso, foi classificada como uma das empresas de Tecnologia da Informação mais inovadoras do mundo pelo Technology Pioneers 2015;

Publicado pelo Fórum Econômico.

Em 2016, a iZettle foi finalista do prêmio ÉPOCA ReclameAQUI;

As melhores empresas para o consumidor, na categoria de Meios de Pagamentos Eletrônicos.

About Paulo Fernandes Maciel

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*